terça-feira, 3 de abril de 2012

Nascimento






A noite chega ao fim, 

Ávida e grávida

De um novo dia.




Parido no escuro,

Ele começa, frágil,

Como se fosse

Uma nova vida.




Ao meio dia, ele grita,

Cheio de ânsia e alegria,

Que vai sossegando

Conforme ele vai, à tarde,

Morrendo...




Ao crepúsculo, engravida,

Guardando em si, um segredo

Que prepara, e cresce no ventre:

O filho que nunca verá,

Um outro dia

Que vai nascer.




3 comentários:

  1. LIndo esse dia que começa cheio de esperanças, principalmente tendo como pano de fundo essa linda paisagem que faz brilhar os olhos de quem a contempla. Sempre delicioso ler você, Ana. Abrçs. Helena

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto. Mais e mais seres humanos precisam considerar sobre isso antes de achar que nada vale a pena. braços.

    ResponderExcluir
  3. maravilhoso , maravilhoso ........ olguinha costa

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...