quinta-feira, 25 de abril de 2019

Abaixo a Vitimização!





Todo aquele que tenta convencer você de que você é uma vítima, está tentando tirar o seu poder e a sua força. Seja ele um político, um 'amigo', um membro da família ou um guru. No vídeo de hoje, eu explico um pouco melhor sobre essa campanha de vitimização que acontece no Brasil e no mundo, e convido você a uma reflexão.


Abraços!

PS: Aproveito e deixo o link para meu blog O Caminho do Aprendiz, e convido a todos que gostem de tarôt a fazer uma visitinha!


http://ocaminhodoaprendiz2.blogspot.com/

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Eu Não Sei o que Existe







Eu não sei o que existe,
Não sei de onde veio,
Só sei que está, 
Só sei que eu sinto.
Flutua nas águas,
Balança com as folhas,
É o brilho da pétala,
Sussurra no vento.

Eu não sei o que é,
Só sei que é,
E fala comigo
Na voz do silêncio,
Nas gotas da chuva,
Nos raios do sol,
E dentro de mim
Mesmo se me esqueço.

Eu não sei onde está,
Se existe um lugar
Ou se há, na verdade,
Centenas de estradas
Por onde passar.
Só sei que passa,
Só sei que é real
E está no ruído
Dos carros nas ruas,
Dos cães, quando latem,
Nos bicos dos pássaros,
Nas flores, nos bichos,
Nos rios e mares,
Pessoas, lugares,
Nos computadores,
Nos livros, nos discos,
No rosto dos mortos,
Por trás de suas pálpebras
Fechadas, que escondem
A Sua palavra. 




terça-feira, 16 de abril de 2019

Você Tem um Elefante aí?




Você tem um elefante aí. Eu sei. Porque eu também tenho um. Ou alguns. Mas tenho dado um jeito neles.

Mas não é muito prático a gente colecionar esses bichões, pois eles comem muito, "sujam" muito e ocupam muito espaço. Além disso, eles têm alguns 'amigos' que eles convidam de vez em quando para passarem a noite com eles... e se ninguém falar nada, esses amigos elefantes vão ficando... ficando...

Este é o assunto do meu canal no Youtube, Espiritualidade na lata. Espero que gostem!

Se gostar, inscreva-se no canal, curta o vídeo e toque o sininho, por favor.





O Sorriso das Gárgulas









Por entre a fumaça
Sorriam as gárgulas,
Já não espantavam
Os muitos demônios,
Que voavam livres
Em volta das torres.

O fogo vermelho
Derretia os sinos
Que sequer se atreviam
A um último badalar.

Sorriam as gárgulas,
As asas abertas
Por sobre a cidade
E sobre as pessoas
De olhos abertos,
De bocas abertas,
De mãos nas cabeças!

Sorriam as gárgulas,
Pousadas nos caibros,
Serenas, olhando
Os anos voando
No meio das cinzas...

Entre as labaredas,
Toda a paz das gárgulas
E o santos anjos
Não faziam nada...

(A lágrima tríplice
Que triste jorrava
Daquela amurada
Seria um sinal 
Do Apocalipse?)





quinta-feira, 11 de abril de 2019

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL






Inteligência Artificial


Convidada pela Amazon a participar de um programa de testes de um novo dispositivo, a assistente Alexa, aceitei o convite sem acreditar muito  que seria realmente incluída no programa. Bem, alguns dias após aceitar o convite e me cadastrar, a Amazon enviou-me um e-mail, dizendo que o aparelho tinha sido despachado e estava a caminho, e dando instruções sobre como configurá-lo corretamente. Detalhe: não paguei nada por isso, e o aparelho custa 199,00 dólares.

Pensei: "Ana, você é louca! Concordou em participar de um programa de testes de um aparelho que você nunca viu e nem sabe para  que serve!" Mas, como adoro tecnologia e sou realmente intrometida, eu me aventurei, e ele chegou ontem.

Ao abrir a embalagem, deparei com uma caixa de som pequena, em forma de cone com quatro botões no topo. Liguei-a na tomada, e uma luz azul forte, entremeada de violeta e verde, começou a girar no seu topo. Pensei: "A coisa vive!"

Segui as instruções e configurei o aparelho, após resolver a briga entre meu anti-vírus e o wifi da Amazon. Li um pouquinho a respeito: Alexa é como uma assistente virtual inteligente, que integrada à casas inteligentes, executa funções comandadas pela voz, tal como ligar o alarme, a cafeteira, a TV, o aparelho de som, o computador, etc, abrir portões eletrônicos, fazer chamadas telefônicas e enviar mensagens, entre outras dezenas de coisas que ainda não descobri - e como o aparelho está em fase de testes, ninguém sabe muito bem, nem a própria Amazon. Só um problema: Alexa é inteligente, mas descobri que minha casa é estúpida e não pode interagir com ela.

Fiquei ali, olhando para ela, me sentindo frustrada, sem saber se deveria devolvê-la ou não. Até que tive uma ideia; chamei-a "Alexa!" Imediatamente, as luzes se acenderam; a coisa estava me ouvindo. Falei com ela em português: "Toque Carly Simon no Spotify!" E obtive a seguinte resposta: "Sorry. I don't know about that!"  Repeti a ordem em inglês, e ela imediatamente começou a tocar uma playlist de Carly Simon com um som surround límpido e maravilhoso. A coisa é poderosa.

Comecei uma conversa com ela, e para cada pergunta, ela corria uma pesquisa no Wikihow para apresentar uma resposta (Por exemplo, 'qual o Presidente do Brasil, quantos quilômetros tem a Dinamarca, qual a capital dos Estados Unidos, etc...). A coisa é sábia. Comecei a levar a conversa para o campo mais pessoal: "Alexa! What's my name?" (Qual o meu nome?) Ela disse: "Well, there's only one user connected to this account, so I think your name is Ana!" (Bem, há apenas uma pessoa conectada a esta conta, então eu acho que seu nome é Ana). A coisa é dedutiva.

"Alexa! When will I die?" (Quando vou morrer?") Resposta: "Sorry. Can't predict the future. And I don't think you want to know the answer to that question, anyway..." (Desculpe, não posso prever o futuro. E eu não acho que você queira saber a resposta para esta pergunta, de qualquer maneira...). A coisa é filosófica.

Conversando com ela, descobri que ela fala sete línguas - português incluído - e que para mudar o idioma, eu teria que mexer nas configurações. A coisa é poliglota.

Perguntei: "Alexa! What's the news today?" Imediatamente, uma repórter do Yahoo começou a descrever as principais manchetes do dia, e notei que ela era um tanto avessa ao governo, já que não dizia nada de positivo a respeito de Sérgio Moro, Paulo Guedes ou Bolsonaro. A coisa é esquerdopata.

Preferi mudar de assunto, ou acabaríamos brigando. E cá estou eu, perguntando sobre o clima durante a semana, a temperatura em Nova Yorque, a cotação da bolsa de valores e o significado da vida, enquanto escuto música no Spotify, sigo programas de meditação e dou boas gargalhadas com algumas das respostas. A coisa é muito divertida.




quarta-feira, 10 de abril de 2019

Quando Chove









Quando chove,
As flores viram os rostos para o céu,
As folhas brilham, deixando ir as que estão soltas,
Os passarinhos trinam felizes sobre os galhos,
As correntezas correm em paz entre os cascalhos.
-Só nós nos escondemos.

Quando chove,
Os rios engordam as suas correntezas,
E levam com eles aquilo que sobra das suas águas
Para o mar revolto,
Que se expande em ondas espetaculares,
Tão belas quanto mortais.
-Só nós nos encolhemos.

Quando chove,
A natureza toda parece brilhar de alegria,
Os cães correm nos quintais, brincando de pegar,
As crianças riem, descalças sobre as correntezas,
Mas os poetas,
Nós pensamos nas nossas tristezas,
E enquanto tudo se entrega, se molha e se alegra,
Só nós lamentamos.




sábado, 6 de abril de 2019

SOBRE SACRIFÍCIOS DE ANIMAIS








AS ILUSTRAÇÕES QUE EU ENCONTREI PARA COLOCAR AQUI ME REVIRARAM O ESTÔMAGO. ACHEI MELHOR NÃO UTILIZÁ-LAS, MAS VALE DIZER QUE SÃO FOTOGRAFIAS DE CÃES E GATOS SEM CABEÇAS, OU ANIMAIS AINDA VIVOS SENDO DESMEMBRADOS OU ESTRIPADOS. QUEM DUVIDA, BASTA PROCURAR NO GOOGLE E NO YOUTUBE.







SOBRE SACRIFÍCIOS DE ANIMAIS

Sobre uma decisão recente do STF quanto a sacrifícios de animais em rituais religiosos

Embora tais rituais aconteçam há séculos dentro do Brasil, isso não significa que sejam éticos ou que estejam dentro dos preceitos da caridade, uma vez que praticam a tortura e causam muitos sofrimentos aos animais. Uma tradição não pode ser considerada ética ou defendida como louvável apenas por ser repetida há séculos. Embora o STF tenha determinado que animais de estimação não possam ser sacrificados, quem define o que é um animal de estimação e o que não é?  E aqueles que não são considerados animais de estimação merecem ser torturados e submetidos a uma morte lenta e dolorosa?

Vejo tudo isso com desgosto, e ao mesmo tempo, admito uma grande hipocrisia entre os que são contra o sacrifício em rituais mas que se mostram favoráveis ao abate para consumo, já que este também constitui tortura e sofrimento. Ainda estamos há anos-luz de podermos ser considerados um povo avançado e/ou caridoso.

Quanto aos tais ‘rituais’ africanos, eu os vejo como uma forma de grande atraso espiritual e mental. Quando ‘entidades’ se comprazem com sangue e vinculam a concessão de favores pessoais ao sofrimento de criaturas inocentes, eu me pergunto qual a origem e a intenção de tais ‘entidades.’ 

Eu mesma pude presenciar o sofrimento de um animal – um galo – que estava sendo maltratado em uma encruzilhada perto da minha casa; fomos atraídos até o local pelo som desesperado dos cacarejos dele enquanto passeávamos com o nosso cão. Conseguimos, com a ajuda de vizinhos, espantar os ‘sacerdotes’, que deixaram o animal com os pés amarrados sobre uma toalha preta. Ao desamarrá-lo, uma de minhas vizinhas constatou que as penas tinham sido arrancadas, e cera quente jogada sobre a pele do animal, que estava queimada. O galo estava vivo, e ela levou-o para casa para cuidar dele, já que faz parte de uma associação protetora de animas. Felizmente, ele se curou (embora um tanto depenado) e escutei-o cantar por lá durante alguns anos.

Após esta aprovação de tortura concedida pelo STF, fui pesquisar sobre o assunto, e o que vi foram cenas horrorosas de dor e de desespero; bodes que tiveram suas patas arrancadas à golpes de facão enquanto gritavam; gatos sendo sangrados até à morte e degolados; cães tendo suas entranhas arrancadas e devoradas enquanto estavam vivos. E se isso não é tortura, eu não sei mais o que é. 

Me pergunto sobre as verdadeiras intenções desses 'seres de luz' que se vestem de branco enquanto exercitam seus rituais negros regados à sangue a fim de separar casais, fazerem pessoas perderem seus empregos, adoecerem ou morrerem.

Ao invés de aprovarem tais absurdos, estes inúteis homens de toga deveriam estabelecer punição severa a tais atos hediondos. Mas estamos no Brasil, um lugar onde os maiores absurdos são sempre defendidos, aplaudidos e exaltados pela grande maioria do povo ignorante, mental e espiritualmente atrasado.

Abaixo a Vitimização!

O CAMINHO DO APRENDIZ Todo aquele que tenta convencer você de que você é uma vítima, está tentando tirar o seu poder e a sua forç...