sexta-feira, 29 de julho de 2016

Sobre Mentiras









Quando o dia começa bem, a melhor coisa do mundo é fazer-se de tonto para que ele continue bem - ao invés de se deixar contaminar por pensamentos ruins quando não há nada que se possa fazer, no momento, a respeito de alguma coisa que poderia nos tirar do sério, se deixássemos.

A gente se faz de bobo por conveniência, mas isto não significa que sejamos realmente tolos - apenas aguardamos a resposta do universo, que na maioria das vezes, é bem mais dura do que a nossa.
Acho cômica a situação das pessoas que tentam esconder a cara enquanto o traseiro está completamente exposto, e ainda se acham criativos ao acreditarem que todo mundo crê nas mentiras que eles contam...

Nenhuma mentira é brilhante o suficiente para enganar o tempo todo, e quem mente, ao invés de orgulhar-se por saber enganar, deveria envergonhar-se por fazer da própria vida uma grande mentira. A verdade pode passar muito tempo adormecida, mas quando ela acorda, está sempre bem-disposta e é implacável.

Quem gosta de contar mentiras, muitas vezes sofre de mau-hálito. Já perceberam isso? É porque as mentiras contadas acumulam-se no fundo da garganta, contaminando o ar que a pessoa expira. A mentira tem cheiro, e ele é sentido sempre por quem se aproxima do mentiroso, menos por ele próprio.





quarta-feira, 27 de julho de 2016

You're Losing Me...







You’re losing me, 
And you can’t see
You don’t notice, 
You don’t feel it
Or maybe you don’t mind…

Our flowers are fading,
There’s no one to care for them
No sun beam,
No water, no spring!

And the rules you’ve created
Of walking in silence
And hiding smiles
Aren’t worth for me anymore…

You’re losing me,
We’re close to the end
You’re losing yourself
And losing, each day,
The dreams that we had!

Why so much despise,
Why these shallow eyes,
Which lie on my face
Like sharp knives?

You’re losing me,
For very little, or almost nothing
Of the time that you give me,
And the muzzled words
That remain unsaid!

You’re erasing my presence
Little by little, from your life
You’re losing me,
I’m too tired to fight
For this love that hurts me
And this cold on my nape
That should be warmth.

You’re losing me,
Our love is dying
And you don’t even mind
You don’t care, you don’t fear…

I wander in your exile,
I’m a ghost in your castle
Which is empty of what once
Used to be so beautiful!
I wander alone, so dead,
I knock on your doors
But you won’t let me in…

You’re losing me,
And I’ll soon be gone
Our life is now dying
You won’t ever be heard
-In case you start crying.





terça-feira, 26 de julho de 2016

Testando e Aprovando








Todo mundo tem seus truques para cuidar de uma casa; ideias e técnicas que herdamos das mães ou avós, e também coisas que a gente acaba descobrindo através da própria experiência - tentativa / erro - tentativa / acerto.

Gostaria de partilhar umas poucas que eu mesma descobri:

-O spray para passar roupas está caro, não é? E muitas vezes, não dura nada. Peguei um pouco de amaciante de cor branca (mais ou menos um terço da embalagem vazia do amaciante ) e misturei água, sacudindo bem. É melhor do que o spray, pois além de perfumar e facilitar o passar, ainda amacia. Tenho feito assim agora. Ainda não testei amaciantes de cor - azuis, rosas ou amarelos - pois tenho medo de que manche alguns tecidos. Mas o branco não tem perigo!

-Limpar vidraças pode ser uma chatice só! Os produtos disponíveis deixam os vidros embaçados, e temos que esfregar muito para que brilhem. Eu segui o conselho de uma conhecida, e usei apenas um pano com água e outro seco. Deu efeito. Mas testando e tentando descobrir meu próprio jeitinho, achei uma maneira bem mais rápida e fácil: álcool gel! Não há nada melhor, e nem é preciso o pano seco para acabamento. Além de limpar vidros, o álcool gel é excelente para os azulejos da cozinha e do banheiro (deixam-nos brilhando e sem sinal de gordura, além de desinfetar) e também para o box de banho. Aquelas manchas gordurosas, que geralmente custam a sair,  desaparecem como em um passe de mágica, deixando tudo transparente e brilhante. 

-Para limpar o limo e a gordura das paredes do box, eu costumava usar um produto excelente, porém muito caro: o X-14. Mas descobri que o cloro, que é bem mais em conta, faz o mesmo efeito. E com o que eu pagava em uma embalagem de 500 ml do desinfetante, compro umas cinco de 1,5 litros cloro cada. Tome cuidado com roupas e toalhas, pois se cair ou respingar nelas, é o fim - tanto com o cloro quanto com o desinfetante. Basta espirrar o produto e deixar agir durante vinte minutos, enxaguando em seguida. Não é preciso esfregar: sai tudo. Cuidado com as torneiras, pois podem ficar pretas ou descascar se você deixar sobre elas durante muito tempo.

-Para limpezas rápidas na casa, aquelas de emergência antes da visita chegar ou entre uma faxina e outra, uso a boa e velha vassoura feiticeira. Não tem fios, não precisa de bateria, dispensa a pá de lixo e a lixeira e faz o serviço de forma eficaz. Quando você for limpá-la, ficará surpresa com a quantidade de lixo e poeira fina que ela capta! Exatamente como o aspirador de pó. Porém, pelo menos uma vez por semana, é preciso usar o aspirador e pano úmido nos cantinhos, pois a feiticeira não os alcança. 

-Pisos e azulejos brancos ficam limpinhos quando lavados com sabonete Lux branco. É mais fácil de enxaguar, e eles ficam bem branquinhos - além de cheirosos. Derreta um pedaço do sabonete na água e use. Se estiver muito sujo, esfregue o sabonete sobre as manchas usando uma vassourinha de mão ou escova. 

-Ultimamente, tenho evitado usar mangueira de água na limpeza de banheiros e cozinha com a mesma frequência de antes; eu costumava jogar água em tudo, mas com a falta d'água que assola o planeta, tenho buscado outras alternativas, só apelando para a água e sabão se a coisa estiver realmente difícil.  Existem produtos excelentes no mercado, e não é preciso gastar litros e mais litros de água para jogar no piso, enquanto tantas pessoas não tem água nas torneiras.







Lembrete







Um bom lembrete: ninguém poderá fazer você descer mais baixo do que os últimos degraus da sua própria alma. E muitas vezes, a fim de obtermos autoconhecimento, surgem nas nossas vidas pessoas com este poder.





segunda-feira, 25 de julho de 2016

Terror


Não sei se por embotamento mental e/ou emocional, deparei com alguns posts alegando que os terroristas presos aqui no Brasil não eram terroristas, e que tinham sido presos injustamente apenas para que um ministro pudesse mostrar serviço; vi posts fazendo piadas, usando fotografias de pessoas vestidas como muçulmanos – como se todos os muçulmanos fossem terroristas – dizendo que os terroristas não virão para o Brasil, pois já temos problemas demais.

Concordo: temos problemas demais. A começar pelo fanatismo político.

Pessoas que se comunicam através da internet usando nomes árabes sem o serem, comemorando as mortes causadas por ataques terroristas e dizendo-se ‘batizados’ pelo Islam não são terroristas? Pessoas que tentam comprar armas de fogo a fim de usá-las contra pessoas inocentes no evento das Olimpíadas não são terroristas? Meu Deus, aonde vamos parar, quando pessoas inteligentes e cultas defendem estes tipos?

As Olimpíadas são um evento internacional, do qual participarão pessoas do mundo inteiro; como não reforçar a segurança? Como não investigar atitudes suspeitas? Afinal, estas mesmas pessoas que estão criticando as ações da ABIN e demais órgãos, se esquecem de que elas mesmas poderiam ser vítimas destes loucos! Se a equipe de segurança do governo nada estivesse fazendo, e um ataque real ocorresse, eles seriam criticados da mesma forma pelas mesmas pessoas que os estão criticando agora pelo excesso de zelo; ou seja: não se pode esperar atitudes sensatas vindas de fanáticos com mentes embotadas que sofreram lavagem cerebral.

Vi afirmações baseadas nas mais absurdas teorias da conspiração dizendo que tudo o que acontece de ruim no Brasil é culpa da Globo- e mesmo que a Globo manipule informações, ela não tem o poder de moldar o caráter dos nossos políticos e do nosso povo.
Neste momento, há terroristas agindo no mundo todo, e centenas de pessoas são mortas de uma só vez; isto não é motivo para preocupação?

Você aí, que defende estas pessoas, por que não paga um advogado para que sejam soltas, e as leva para sua casa, a fim de conviver com seus filhos? Por que não tenta filiá-las ao seu partido político – assim, quem sabe, elas poderiam contribuir de alguma forma para esta fileira de atrocidades que eles estão cometendo em propriedades alheias?

Para mim, de nada adianta entender de política, ser mestre em história, geografia e educação, e não dispor de um pouco de bom senso. De nada vale saber falar bonito a fim de berrar descontentamento nas redes sociais, defendendo um partido falido e comprovadamente corrupto, e não ter humanidade.
Prefiro ser chamada de ignorante a ser aplaudida por essa corja convencida e cheia de “sabedoria política,” cujas atitudes demonstram que possuem o fanatismo e a presunção que afirmam ver em todos os que não concordam com eles.



domingo, 24 de julho de 2016

O Que Pomos, Do Que Dispomos?






Uma casa deveria ser um berçário de sonhos, uma catapulta de onde eles fossem impulsionados para a realidade. Ela jamais deveria ser uma caixa onde apenas os guardamos.

Uma casa deveria ser um espaço agradável de convivência entre pessoas que se amam, famílias, amigos, irmãos, e jamais um ringue, palco de brigas, disputas e discussões, e ainda pior, de indiferença.

Uma casa deveria guardar o mais precioso de cada pessoa que nela vive, para que fosse partilhado e multiplicado ao final de cada dia, e nunca um lugar onde as decepções, tristezas e frustrações do dia fossem jogadas nas faces uns dos outros. 

Uma casa deveria ser um local onde as pessoas procurassem um abrigo para se recuperarem daquilo que o dia tirou delas, e não um lugar onde as pessoas tentassem tirar umas das outras o que alguém lá de fora roubou. 

Entre os habitantes de uma casa deveria haver mais do que amor, pois amor apenas não é , nunca foi e nem nunca será o suficiente. Entre os habitantes de uma casa deveria haver carinho, respeito, admiração e, acima de tudo, gratidão.






A TRISTEZA CONTAGIA






A tristeza é uma doença,
Uma torpe erva daninha
Com gavinhas que se enroscam
Em tudo o que se aproxima.

E a mão mal precavida
Estendida no abismo,
É a vítima mais certa
Do que vem da escuridão.

A tristeza apaga as luzes
Para quem chegar mais perto,
Muda o jardim em deserto,
Apunhala o coração.

-Maldita hora soturna,
A quem deixou-se enganar
Pela ilusão taciturna
De uma alma salvar!





sexta-feira, 22 de julho de 2016

Tristes Números








Há alguns dias, assistindo a um programa na Globo News, fiquei sabendo que um terço da população mundial nunca enxerga as estrelas, devido aos efeitos da iluminação artificial. Talvez seja por isso que as pessoas estão deixando de acreditar na magia, e em Deus.

Eu fico pensando: será que um dia elas conseguirão enxergar as estrelas?

Olhar o céu à noite nos torna conscientes do quanto somos pequenos neste imenso universo, dando-nos a verdadeira dimensão de nós mesmos. Existem muito mais estrelas do que seres humanos. Como podemos achar que somos mais importantes do que as outras criaturas? E como alguém consegue olhar o céu sem ao menos tentar imaginar de onde viemos, ou para onde vamos?
Nosso planeta é tão pequeno em relação a tudo o que existe e que ainda não sabemos! Por que não acreditar que existem outras formas de vida em outros planetas? Eu acredito.

Acho que todo mundo deveria sair das cidades grandes de vez em quando, e ir a algum lugar aonde pudessem olhar o céu à noite, e escutar os grilos cantando, e os pássaros amanhecendo o dia. Estas são conexões que estão faltando a todos: conexões com as nossas origens e com os outros seres vivos.




quarta-feira, 20 de julho de 2016

Veja...









Veja,
Caiu um botão de minha roupa,
Afundou naquele poço,
E não houve nenhum eco...

Olhei para dentro, e não vi
Nem luz, nem brilho nenhum!

Perdeu-se o botão da camisa,
E hoje, a mais leve brisa
Faz com que eu me arrepie
De tanta, tanta saudade!

Veja,
Caiu uma fita do meu cabelo
Dentro daquele rio turbulento,
E a correnteza a levou...

Chorei, ajoelhada à margem,
Olhei-a sumindo nas águas,
E nada pude fazer!

E hoje, a mais leve chuva
Desmancha-me as mechas confusas,
Me faz desejar morrer!

Veja,
As minhas pupilas ficaram
Naqueles olhos fechados,
Na madrepérola fosca
Daquele botão perdido!

No azul que definhou
Daquela fita levada
Que deve estar desbotada
Nas correntezas da vida!





terça-feira, 19 de julho de 2016

A Rosélia Perguntou, e eu Respondo: Está Tudo Azul?




Está tudo azul? Pergunta feita por todos aqueles que desejam saber se está tudo bem com alguém. Bem, comigo vai tudo bem... se é que é possível dizer que vai tudo bem quando a cor predominante no restante do mundo, é o cinza.

Basta olhar por cima do meu muro, e eu percebo que existem muitos tons de cinza - bem mais do que cinquenta: o cinza-terrorismo, o cinza-corrupção, o cinza-jeitinho brasileiro, o cinza-carência, o cinza-crise, o cinza-invejoso e muitos outros. E todos estes tons cinzentos podem ser resumidos em um único tom: o cinza-desamor.

Precisamos de um pouco mais de azul. E de rosa, amarelo, vermelho, branco, verde, dourado, prateado... e a gente até consegue pintar o nosso mundo usando estas cores, mas parece que as coisas andam tão pesadas e negativas no  mundo, que sem que nós esperemos, de repente entra pela janela um balde de cor cinza que suja as demais cores, corrompendo-as, manchando a paz.

É preciso ser forte. Mais do que nunca, é preciso ter coragem para continuar pintando de azul, todos os dias, tudo o que foi contaminado pelo cinza, esperando que um dia a gente acorde e verifique que a noite passou sem que nenhum tom de cinza manchasse o azul.

Será que vai demorar?





segunda-feira, 18 de julho de 2016

Angels



I liked the angels better
When they had wings,
Lovely rosy faces,
And laughed like kids.

Now,
The angels have grown up,
And started making films
Where they play cynical roles
In which 
They get involved with humans.

The angels have lost their souls
And they have fallen from Heaven
For the second time.





Alan Turin








Alan Turin foi um matemático, lógico e criptógrafo que, durante a Segunda Guerra Mundial, interceptou e decifrou códigos nazistas. Desta maneira, contribuiu para salvar as vidas de mais de 14 milhões de pessoas, encurtando a guerra em mais de dois anos.

Quem quiser saber mais sobre ele, assitam ao filme "O Jogo da Imitação."




"Eu Acredito, que ás vezes são as pessoas que ninguém espera nada que fazem as coisas que ninguém consegue imaginar."




"Ciência é uma equação diferencial. Religião é a condição de contorno."




" Raciocínio matemático pode ser considerado um tanto esquematicamente como o exercício de uma combinação de duas instalações , o que podemos chamar de intuição e criatividade " 




domingo, 17 de julho de 2016

Objetos & Sombras







Um Mimo





Da página da Fraternidade Francisco de Assis, no Facebook, colhi este mimo.





O Jogo da Imitação - Resenha

Imagem: Google








TÍTULO ORIGINAL: IMITATION GAME

ANO: 2014
Diretor: Morten Tyldum
Autores: Graham Moore, Andrew Hodges (book)
Estrelando: Benedict Cumberbatch, Keira Knightley, Matthew Goode

Baseado em fatos reais, o filme conta a história de Alan Turin (23 de junho de 1912 — 7 de junho de 1954), matemático, lógico e criptoanalista que decifrou códigos de comunicação alemães para o exército britânico, ajudando a salvar as vidas de mais de 14 milhões de pessoas durante a Segunda Guerra Mundial, E encurtando em mais de dois anos a sua duração - um fato que foi mantido em segredo durante cinquenta anos pelos britânicos.
O verdadeiro Alan Turin

Mesmo após decifrar o código, Alan Turin foi acusado de espionagem e indecência por ser homossexual, e obrigado a submeter-se a tratamentos hormonais a fim de corrigir o seu ‘problema’ a fim de não ser condenado e preso.

O filme é excelente, e os atores, maravilhosos. Foi indicado ao Oscar em oito categorias, vencendo o de melhor roteiro adaptado.

Chocou-me o fato de que a sexualidade do matemático tenha sido considerada por muitos mais importante do que seus feitos a favor da humanidade, o que ressalta a hipocrisia e a ingratidão de muitos seres humanos. Foi através da “Máquina de Turin,” desenvolvida a fim de decifrar os códigos nazistas, que surgiram os primeiros computadores da história.

Alan Turim suicidou-se um ano após o início de seu tratamento para a ‘cura’ homossexual. Viveu e morreu em ostracismo, e apenas em 2009, o primeiro-ministro britânico Gordon Brown fez um pedido oficial de desculpas público, em nome do governo britânico, devido à maneira pela qual Turing foi tratado após a guerra. Em 24 de dezembro de 2013, Alan Turing recebeu o perdão real da rainha Elizabeth II, da condenação por homossexualidade.



A vida é irônica.








quarta-feira, 13 de julho de 2016

Canto








Canto,
Enquanto cai o pranto,
Escorre entre meus dentes
Lavando meu sorriso
Enquanto desce...

Olhos fechados,
A alma aberta,
Escancarada
Como as janelas
Da minha casa...

Canto no escuro,
No sol, na chuva,
Porque não existo
Quando não canto!

E do meu canto,
Enquadro o mundo...
Ângulos vários,
Sono profundo...





terça-feira, 12 de julho de 2016

Para Quem Adora Comprinhas...






Para quem adora fazer comprinhas para a casa, existem dois sites muito bacanas que eu descobri: o Privalia e o Westing Home and Living.

 O Privalia, além de coisas para a casa - móveis, cama e mesa, adornos, cortinas e outras coisas - também vende roupas, acessórios e sapatos, além de perfumes e artigos para presentes. Ainda não o utilizei, mas quando o fizer, deixarei a minha experiência aqui. Para usá-lo, basta baixar o aplicativo da Privalia no Google Play ou na apple Store. 

O Westing Home and Living eu já usei, e é muito legal. Não há necessidade de baixar aplicativos. Eu comprei através de um anúncio no Facebook, mas já tinha ficado conhecendo ao ver uma entrevista da proprietária na Globo News. Eles entregam direitinho, dentro do prazo. 

O único problema de ambos os sites é o frete, que não sai de graça, apesar do Privalia oferecer frete 
grátis na primeira compra. Ambos também oferecem descontos na segunda compra se algum amigo seu também os utilizar (eu ganhei $20,00 no West Home and Living). Mas o frete vale a pena, se você comprar um pouquinho mais.

Os sites trabalham com mercadorias que ficam em oferta durante um determinado tempo, e algumas ofertas podem ser realmente muito boas; então, se você estiver interessado em alguma mercadoria, melhor comprar rapidinho.

No Privalia há uns bowls lindos em oferta, a partir de 24,90 cada, enquanto vi uns muito parecidos em uma loja física aqui em Petrópolis por nada mais, nada menos que... $89,90 cada! Por isso, mesmo se você pagar frete, muitas vezes vale a pena, pois por 89,90, você compra três bowls, enquanto na loja física, você só compra um.

E as coisas são lindas!

Divirtam-se, e boas compras.







segunda-feira, 11 de julho de 2016

A Alma







De repente, assim do nada, parecia que uma nuvem negra tinha resolvido ficar sobre a minha cabeça. As cores da paisagem desbotaram, o frio se intensificou e pensamentos ruins começaram a tomar conta de mim. Uma onda de negatividade fazia penetrarem as suas gavinhas aos poucos, sorrateiramente, tentando dominar o sentimento. O dia estava lindo, mas nada daquela beleza conseguia chegar até mim. Eu olhava pela janela e só sentia tristeza.

Fui lá para fora, e comecei a pensar em uma porção de coisas ruins, que já tinham acontecido e que não seria mais possível modificar. Coisas que há muito tempo eu já tinha deixado para trás, lá no passado, pois eu já as tinha vivenciado e aprendido o que podia com elas. E vieram os questionamentos: "Talvez, se eu tivesse conseguido..." "Quem sabe, se eu tivesse insistido um pouco mais..." pensamentos inúteis e depressivos, pois as coisas se deram da maneira que tinha que ser, e eu não teria o poder de mudá-las nem se eu tivesse brigado com o mundo e com Deus. 

De repente, eu me dei conta: como é que aquelas coisas poderiam ter chegado assim, daquela forma tão repentina, se há questão de minutos, tudo estava indo bem? De onde vinham aqueles pensamentos tão mórbidos e irritadiços? Me dei conta de que eles não vinham de mim; a impressão que eu tinha, é que alguma coisa estava me obrigando a pensar daquela forma, me arrastando à força para um estado de tristeza no qual eu não queria permanecer. Eu precisava lutar contra aquilo!

E comecei a pensar em todas as coisas pelas quais eu deveria - devo - ser grata. Olhei em volta, e agradeci pela minha casa, pela comida que não falta à nossa mesa, pela minha família, meu marido que eu amo acima de tudo, meus cães (os de hoje e os de ontem), meu trabalho, o fato de eu ter sempre tido mãe e pai cuidando de mim enquanto eu precisei deles, e também por todos os bens materiais que pudemos conquistar (sem deixar que nós fôssemos conquistados por eles), pelos bons vizinhos que eu tenho, do tipo que quando ficam sabendo que você está resfriada, preparam xarope de mel e guaco e vem trazer para você, que pintam sua casa, dão banho em seus cães e ajudam no que podem. 

Aos poucos, as nuvens negras foram indo embora. Não há pensamento ruim que permaneça quando a gente se lembra de agradecer, e quando a gente simplesmente decide que eles não vão ficar. Por que eles surgem, assim, do nada? Eu acredito que às vezes eles podem ser enviados para nós de propósito através dos pensamentos de pessoas que não gostam da gente. Mas quem tem a maior força sobre nós somos nós mesmos e Deus. Não podemos nos esquecer disto. 

Noutras vezes, eles até parecem ter surgido do nada, mas estavam ali dentro da gente o tempo todo, e nós os ignoramos porque não queríamos lidar com eles. 

Mas eu acho que desta vez, foi o primeiro caso. Ninguém fica de mal com a vida de um minuto para o outro, com dor de cabeça e enjoado, cansado e bocejando feito louco quando há alguns segundos apenas estava cantando e feliz da vida. Não mesmo! 

Mas assim como quem manda na minha casa sou eu, quem manda na minha alma também sou eu. Podemos lutar contra esse tipo de coisa! Podemos e devemos. Devemos lamentar que coisas assim aconteçam, porque acho que há lugar para todo mundo no mundo, todos temos o direito de estar aqui.  Não é preciso mandar coisa ruim para ninguém. Isso é uma perda de tempo.

E a melhor forma de agir quando nos sentimos assim, é agradecendo pelas coisas boas que temos na nossa vida - e não são poucas. Cantar ajuda. Fazer alguma atividade vigorosa, como caminhar ou varrer o chão, também podem ajudar. Tomar uma xícara de chá assistindo a um bom filme, ou ler um livro motivador, faz milagres. O que não podemos jamais deixar acontecer, é permitir que as gavinhas da depressão e do pessimismo nos envolvam. Podemos também chamar o Anjo da Guarda (sempre faço isso) ou rezar para um santo de devoção. O meu, é São Jorge.  

O mundo tem andado estranho... as pessoas se odeiam, se maltratam e maltratam umas às outras por nada. Esta semana eu me surpreendi porque uma pessoa da qual eu sempre gostei de repente, assim do nada, me disse uma coisa horrível, mesquinha. Fiquei triste, e muito chocada. Sempre nos demos muito bem, e ela sempre foi gentil comigo, e de repente... e eu acho que são essas energias ruins que andam circulando pelo mundo, no meio da gente. Não podemos deixar que elas nos peguem.



Paixão por Cerejeiras













sexta-feira, 8 de julho de 2016

Anselm Grün







Anselm Grün, sobre a gratidão:




“A gratidão possui algo de libertador. Ela me liberta da obrigação de me comparar com os outros e colocar minhas obras e minhas habilidades acima deles. Ela me dá a possibilidade de me alegrar com o outro, de me sentir feliz com o que ele conquistou. Não preciso desvalorizar nem rebaixar a mim e nem a ele. Meu valor não se perde quando reconheço o valor do outro com gratidão; assim, a gratidão me liga ao outro. Não sou eu seu concorrente e ele não é o meu. Olhamos juntos para aquilo que Deus nos dá de presente; às vezes para o outro, às vezes para mim, algumas coisas para mim e algumas coisas para o outro. A gratidão possibilita um bom relacionamento e nos liberta do constante confronto, da obrigação de nos compararmos constantemente com os outros. Toda pessoa tem motivos suficientes para ser grata. Não sou apenas grata pelo que Deus me deu, mas também pelas pessoas com quem Ele me presenteou e pelas pessoas a quem Ele deu muitos dotes que não encontro em mim. Não preciso ter tudo em mim. É bonito poder admirar no outro algo que me falta. Não sou invejoso, mas me alegro com a riqueza nas outras pessoas. “



Exageros

    Assisti a um vídeo na internet no qual uma drag queen montada dava palestras em uma escola para crianças que, aparentemente, t...