sexta-feira, 29 de julho de 2016

Sobre Mentiras









Quando o dia começa bem, a melhor coisa do mundo é fazer-se de tonto para que ele continue bem - ao invés de se deixar contaminar por pensamentos ruins quando não há nada que se possa fazer, no momento, a respeito de alguma coisa que poderia nos tirar do sério, se deixássemos.

A gente se faz de bobo por conveniência, mas isto não significa que sejamos realmente tolos - apenas aguardamos a resposta do universo, que na maioria das vezes, é bem mais dura do que a nossa.
Acho cômica a situação das pessoas que tentam esconder a cara enquanto o traseiro está completamente exposto, e ainda se acham criativos ao acreditarem que todo mundo crê nas mentiras que eles contam...

Nenhuma mentira é brilhante o suficiente para enganar o tempo todo, e quem mente, ao invés de orgulhar-se por saber enganar, deveria envergonhar-se por fazer da própria vida uma grande mentira. A verdade pode passar muito tempo adormecida, mas quando ela acorda, está sempre bem-disposta e é implacável.

Quem gosta de contar mentiras, muitas vezes sofre de mau-hálito. Já perceberam isso? É porque as mentiras contadas acumulam-se no fundo da garganta, contaminando o ar que a pessoa expira. A mentira tem cheiro, e ele é sentido sempre por quem se aproxima do mentiroso, menos por ele próprio.





terça-feira, 26 de julho de 2016

Lembrete







Um bom lembrete: ninguém poderá fazer você descer mais baixo do que os últimos degraus da sua própria alma. E muitas vezes, a fim de obtermos autoconhecimento, surgem nas nossas vidas pessoas com este poder.





segunda-feira, 25 de julho de 2016

Terror


Não sei se por embotamento mental e/ou emocional, deparei com alguns posts alegando que os terroristas presos aqui no Brasil não eram terroristas, e que tinham sido presos injustamente apenas para que um ministro pudesse mostrar serviço; vi posts fazendo piadas, usando fotografias de pessoas vestidas como muçulmanos – como se todos os muçulmanos fossem terroristas – dizendo que os terroristas não virão para o Brasil, pois já temos problemas demais.

Concordo: temos problemas demais. A começar pelo fanatismo político.

Pessoas que se comunicam através da internet usando nomes árabes sem o serem, comemorando as mortes causadas por ataques terroristas e dizendo-se ‘batizados’ pelo Islam não são terroristas? Pessoas que tentam comprar armas de fogo a fim de usá-las contra pessoas inocentes no evento das Olimpíadas não são terroristas? Meu Deus, aonde vamos parar, quando pessoas inteligentes e cultas defendem estes tipos?

As Olimpíadas são um evento internacional, do qual participarão pessoas do mundo inteiro; como não reforçar a segurança? Como não investigar atitudes suspeitas? Afinal, estas mesmas pessoas que estão criticando as ações da ABIN e demais órgãos, se esquecem de que elas mesmas poderiam ser vítimas destes loucos! Se a equipe de segurança do governo nada estivesse fazendo, e um ataque real ocorresse, eles seriam criticados da mesma forma pelas mesmas pessoas que os estão criticando agora pelo excesso de zelo; ou seja: não se pode esperar atitudes sensatas vindas de fanáticos com mentes embotadas que sofreram lavagem cerebral.

Vi afirmações baseadas nas mais absurdas teorias da conspiração dizendo que tudo o que acontece de ruim no Brasil é culpa da Globo- e mesmo que a Globo manipule informações, ela não tem o poder de moldar o caráter dos nossos políticos e do nosso povo.
Neste momento, há terroristas agindo no mundo todo, e centenas de pessoas são mortas de uma só vez; isto não é motivo para preocupação?

Você aí, que defende estas pessoas, por que não paga um advogado para que sejam soltas, e as leva para sua casa, a fim de conviver com seus filhos? Por que não tenta filiá-las ao seu partido político – assim, quem sabe, elas poderiam contribuir de alguma forma para esta fileira de atrocidades que eles estão cometendo em propriedades alheias?

Para mim, de nada adianta entender de política, ser mestre em história, geografia e educação, e não dispor de um pouco de bom senso. De nada vale saber falar bonito a fim de berrar descontentamento nas redes sociais, defendendo um partido falido e comprovadamente corrupto, e não ter humanidade.
Prefiro ser chamada de ignorante a ser aplaudida por essa corja convencida e cheia de “sabedoria política,” cujas atitudes demonstram que possuem o fanatismo e a presunção que afirmam ver em todos os que não concordam com eles.



domingo, 24 de julho de 2016

A TRISTEZA CONTAGIA






A tristeza é uma doença,
Uma torpe erva daninha
Com gavinhas que se enroscam
Em tudo o que se aproxima.

E a mão mal precavida
Estendida no abismo,
É a vítima mais certa
Do que vem da escuridão.

A tristeza apaga as luzes
Para quem chegar mais perto,
Muda o jardim em deserto,
Apunhala o coração.

-Maldita hora soturna,
A quem deixou-se enganar
Pela ilusão taciturna
De uma alma salvar!





sexta-feira, 22 de julho de 2016

Tristes Números








Há alguns dias, assistindo a um programa na Globo News, fiquei sabendo que um terço da população mundial nunca enxerga as estrelas, devido aos efeitos da iluminação artificial. Talvez seja por isso que as pessoas estão deixando de acreditar na magia, e em Deus.

Eu fico pensando: será que um dia elas conseguirão enxergar as estrelas?

Olhar o céu à noite nos torna conscientes do quanto somos pequenos neste imenso universo, dando-nos a verdadeira dimensão de nós mesmos. Existem muito mais estrelas do que seres humanos. Como podemos achar que somos mais importantes do que as outras criaturas? E como alguém consegue olhar o céu sem ao menos tentar imaginar de onde viemos, ou para onde vamos?
Nosso planeta é tão pequeno em relação a tudo o que existe e que ainda não sabemos! Por que não acreditar que existem outras formas de vida em outros planetas? Eu acredito.

Acho que todo mundo deveria sair das cidades grandes de vez em quando, e ir a algum lugar aonde pudessem olhar o céu à noite, e escutar os grilos cantando, e os pássaros amanhecendo o dia. Estas são conexões que estão faltando a todos: conexões com as nossas origens e com os outros seres vivos.




quarta-feira, 20 de julho de 2016

Veja...









Veja,
Caiu um botão de minha roupa,
Afundou naquele poço,
E não houve nenhum eco...

Olhei para dentro, e não vi
Nem luz, nem brilho nenhum!

Perdeu-se o botão da camisa,
E hoje, a mais leve brisa
Faz com que eu me arrepie
De tanta, tanta saudade!

Veja,
Caiu uma fita do meu cabelo
Dentro daquele rio turbulento,
E a correnteza a levou...

Chorei, ajoelhada à margem,
Olhei-a sumindo nas águas,
E nada pude fazer!

E hoje, a mais leve chuva
Desmancha-me as mechas confusas,
Me faz desejar morrer!

Veja,
As minhas pupilas ficaram
Naqueles olhos fechados,
Na madrepérola fosca
Daquele botão perdido!

No azul que definhou
Daquela fita levada
Que deve estar desbotada
Nas correntezas da vida!





terça-feira, 19 de julho de 2016

A Rosélia Perguntou, e eu Respondo: Está Tudo Azul?




Está tudo azul? Pergunta feita por todos aqueles que desejam saber se está tudo bem com alguém. Bem, comigo vai tudo bem... se é que é possível dizer que vai tudo bem quando a cor predominante no restante do mundo, é o cinza.

Basta olhar por cima do meu muro, e eu percebo que existem muitos tons de cinza - bem mais do que cinquenta: o cinza-terrorismo, o cinza-corrupção, o cinza-jeitinho brasileiro, o cinza-carência, o cinza-crise, o cinza-invejoso e muitos outros. E todos estes tons cinzentos podem ser resumidos em um único tom: o cinza-desamor.

Precisamos de um pouco mais de azul. E de rosa, amarelo, vermelho, branco, verde, dourado, prateado... e a gente até consegue pintar o nosso mundo usando estas cores, mas parece que as coisas andam tão pesadas e negativas no  mundo, que sem que nós esperemos, de repente entra pela janela um balde de cor cinza que suja as demais cores, corrompendo-as, manchando a paz.

É preciso ser forte. Mais do que nunca, é preciso ter coragem para continuar pintando de azul, todos os dias, tudo o que foi contaminado pelo cinza, esperando que um dia a gente acorde e verifique que a noite passou sem que nenhum tom de cinza manchasse o azul.

Será que vai demorar?





domingo, 17 de julho de 2016

O Jogo da Imitação - Resenha

Imagem: Google








TÍTULO ORIGINAL: IMITATION GAME

ANO: 2014
Diretor: Morten Tyldum
Autores: Graham Moore, Andrew Hodges (book)
Estrelando: Benedict Cumberbatch, Keira Knightley, Matthew Goode

Baseado em fatos reais, o filme conta a história de Alan Turin (23 de junho de 1912 — 7 de junho de 1954), matemático, lógico e criptoanalista que decifrou códigos de comunicação alemães para o exército britânico, ajudando a salvar as vidas de mais de 14 milhões de pessoas durante a Segunda Guerra Mundial, E encurtando em mais de dois anos a sua duração - um fato que foi mantido em segredo durante cinquenta anos pelos britânicos.
O verdadeiro Alan Turin

Mesmo após decifrar o código, Alan Turin foi acusado de espionagem e indecência por ser homossexual, e obrigado a submeter-se a tratamentos hormonais a fim de corrigir o seu ‘problema’ a fim de não ser condenado e preso.

O filme é excelente, e os atores, maravilhosos. Foi indicado ao Oscar em oito categorias, vencendo o de melhor roteiro adaptado.

Chocou-me o fato de que a sexualidade do matemático tenha sido considerada por muitos mais importante do que seus feitos a favor da humanidade, o que ressalta a hipocrisia e a ingratidão de muitos seres humanos. Foi através da “Máquina de Turin,” desenvolvida a fim de decifrar os códigos nazistas, que surgiram os primeiros computadores da história.

Alan Turim suicidou-se um ano após o início de seu tratamento para a ‘cura’ homossexual. Viveu e morreu em ostracismo, e apenas em 2009, o primeiro-ministro britânico Gordon Brown fez um pedido oficial de desculpas público, em nome do governo britânico, devido à maneira pela qual Turing foi tratado após a guerra. Em 24 de dezembro de 2013, Alan Turing recebeu o perdão real da rainha Elizabeth II, da condenação por homossexualidade.



A vida é irônica.








quarta-feira, 13 de julho de 2016

Canto








Canto,
Enquanto cai o pranto,
Escorre entre meus dentes
Lavando meu sorriso
Enquanto desce...

Olhos fechados,
A alma aberta,
Escancarada
Como as janelas
Da minha casa...

Canto no escuro,
No sol, na chuva,
Porque não existo
Quando não canto!

E do meu canto,
Enquadro o mundo...
Ângulos vários,
Sono profundo...





sexta-feira, 8 de julho de 2016

Basta







Basta uma brisa mais leve,
Perfume de flor,
O roçar de uma pena de passarinho
Caída do céu, por acaso,
Basta um olhar mais raso,
Atravessado,
Um cheiro de bolor dentro de um livro,
Ouvir um riso distraído,
Nem mal nem bem intencionado.

Basta uma palavra, um recado,
Um esbarrão acidental,
Uma música antiga tocando de repente,
Uma lembrança escondida que vem à tona,
Basta um ‘não’, por mais suave,
Um filme mais triste,
Um vento mais frio,

Basta ver um cão abandonado,
Mesmo que esteja feliz,
Um pedaço de jornal rasgado
Voando pela calçada,
Os sons de passos apressados
Passando por mim, sem me ver,
Basta, eu juro,
Fechar os olhos e tentar esquecer,

E eu não me esqueço,
E eu me despedaço,
Pois hoje, bastam apenas palavras ditas
Em um tom um pouco mais duro,
E eu arrebento a alma de encontro a um muro,
E choro, choro, choro
Até morrer...





terça-feira, 5 de julho de 2016

Lágrima









A lágrima é um alívio,
Dor em estado líquido,
É chuva em solo seco
Consolo ao desconsolo
É rio que se estende
Entre duas distâncias.


A lágrima é palavra
Que escorre, silenciosa,
Sem medo ou vaidade,
Demonstra à inconstância
Da vida, e a saudade
Sem pompa ou circunstância.


A lágrima é a resposta
Que a vida nos entrega
Quando tudo se acaba;
A lágrima é a aldrava
Que bate, bate, bate,
Sobre a porta fechada.


A lágrima é o alívio
Que nunca será cura,
A reação mais doce
Quando a vida é mais dura.


Mas mostra que no peito
Vazio de alegria
Existe um coração
Que embora esteja morto,
Há de bater, um dia...





REFLEXÃO

Já muito andei sem enxergar, sem ver, O que me fez e me desfez, a fome... "Ana" é o nome que alguém me deu, M...