quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

NOSFERATU

 






Num voo noturno

Pousou nesse  solo

Um ser abjeto,

Dentes pontiagudos,

De secretos dolos

E pesados coturnos.


Trouxe à tiracolo

Um pesado livro

De pesadelos soturnos,

Que abriu, espalhando

A desgraça: fruto

Do seu próprio crivo.


A ave indigente

De ares sisudos

E olhos de fel,

Não sabe ser gente,

É réu da desgraça,

Senhor da discórdia.


Por onde ele passa,

Espalha, sem dó,

A franca mixórdia;

- Paródia do demo,

Triste criatura,

Que habita o supremo!







sexta-feira, 18 de dezembro de 2020

A DITADURA DA FELICIDADE

 


 

É sempre assim: se eu posto uma foto em minhas redes sociais sem estar sorrindo, alguém sempre pergunta: “Mas por que você está triste?” Ou então comenta: “Sorria!” Então eu percebo que ser feliz – e principalmente, demonstrar felicidade, o que não significa necessariamente ser feliz – tornou-se quase uma ditadura nos dias de hoje. Existe uma competição pelas fotos mais maravilhosas das últimas férias, as roupas mais bonitas, o final de semana mais descolado.

A maioria das pessoas navegam pelas redes sociais e, ao deparar com as imagens fabricadas de vidas perfeitas, começam a pensar que suas vidas são desinteressantes; mas em uma foto, a gente pode colocar o que quiser! Então, basta forçar um sorriso no rosto, criar um cenário bonito, e pronto: você se torna instantaneamente uma pessoa feliz.

Nos canais do YouTube a gente também encontra uma quantidade infinita de vídeos ensinando como ser totalmente feliz e como conquistar todos os objetivos da sua vida através do pensamento positivo. Como se fosse possível conquistar todos os nossos desejos ignorando o fato de que a nossa vontade cruza o tempo todo com as vontades alheias.

Hoje, em uma de minhas aulas, usei um texto que nos ensina a como nos tornarmos miseráveis e infelizes – uma alusão ao que não fazer se você quer ser realmente feliz. O autor do texto, cujo nome desconheço, infelizmente, disserta sobre três coisas; resumindo:

1- Seja o mais voltado para si mesmo que puder: fale sobre si mesmo, pense em si mesmo e viva para si mesmo;

2- Enxergue-se como uma vítima das circunstâncias;

3- Fique o tempo todo ruminando sobre as coisas ruins que aconteceram no passado.

É claro que fazer as coisas acima compulsivamente, tornando-as um hábito, é nocivo para a alma, mas quem não amarra um bode de vez em quando? E o que há de errado em fazer isso quando nos sentimos mal por causa de algo que nos aconteceu? Não podemos controlar tudo, e nem acho que devemos. Acredito que bloquear emoções e posar de pessoa feliz o tempo todo pode ter efeitos catastróficos a longo prazo.

Quando eu estou triste, eu fico triste; quando estou alegre, eu fico alegre – embora a minha alegria não tenha nada a ver com demonstrações efusivas de queima de fogos pela minha satisfação. É uma coisa que tem mais a ver comigo mesma ou com a pessoa ou pessoas envolvidas.

Essa obrigação em ser feliz, em ter pensamento positivo, em ser o mais perfeito possível, em ser um “ser de luz” altamente espiritualizado o tempo todo, é abominavelmente chata. Quem nunca viu guru descer do salto, que atire a primeira pedra.




 

 

 


quinta-feira, 17 de dezembro de 2020



 REFLEXÕES SOBRE MULHERES QUE CORREM COM OS LOBOS


Olá, pessoal!


Neste vídeo, mostro alguns trechos deste importante livro de Clarissa Pinkola Estés e faço comentários sobre eles, trazendo à tona várias reflexões despretensiosas sobre  quem somos. Digo 'despretensiosas' porque não me sinto à altura de comentar as obras de outros autores, mas apenas proponho reflexões sobre o que li.


Esta é uma obra importante! Impossível ler e não se modificar - embora eu esteja perfeitamente ciente que estou a milhões de quilômetros da perfeição.


Convido a todos a assitir ao vídeo, deixar um comentário e um 'like' ou 'dislike' e se inscrever no canal. 


Eis o link:


http://REFLEXÕES SOBRE MULHERES QUE CORREM COM OS LOBOS 

 

Ficarei muito feliz e agradecida se você for lá!





segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

A HORA





Todos sabemos, 
Reconhecemos
Os sussurros de algo que agoniza,
O choro ainda medroso de algo que nasce.

É importante que tudo chegue,
É importante que tudo passe.

Os ouvidos treinados,
Os olhares apurados,
As pontas dos dedos, que tocam de leve
A pele mais fina,
Os ossos antigos,
Sabem.

Mergulhemos as mãos
Na umidade da terra
Dentro de nós,
Sintamos as sementes,
As pedras, os musgos,
As rendas dos cumulus
E os túmulos.




sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

AME






Ame tudo como tudo é,
E a ti mesmo como mesmo és.
Ame o Ser de cada criatura,
Veja o rosto na caricatura.
Pise a lama e não encolha os pés.

Ame a chuva quando ela cair,
ame o sol quando ele surgir,
Ame as fases e as estações,
Sem negar qualquer premonição.

Ame aquilo que ninguém mais vê,
A Essência, o Invisível Ser,
Aprendendo a enxergar ao ver,
Ame aquilo que tu sabes ser.

Ame aquilo que o silêncio traz,
Ame a noite ou o nascer do dia,
Sem ter medo de amar demais,
Ame até o que não compreendes,
Plante amor e colha poesia.




segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

INFELICIDADE




Tem gente que tenta te pisar,

E a cada tentativa,

Deixa bem clara a sua

Infeliz

Cidade.


As sobrancelhas erguidas,

Arqueadas em descaso,

Deixam entrever a amargura

De um coração raso

Que só bate 

Por interesse próprio.


Na solidão do próprio opróbrio

Em sua cidade pobre

E (des) encantada,

Essa gente amargurada

Desfia um rosário

Interminável

De impropérios

Contra todo aquele

Que só cuida da sua vida,

E que se recusa

A rezar pela sua bíblia.


Talvez a pequenez

Das suas pupilas

Vejam as pessoas sempre menores,

Sempre pequenas,

Fazendo com que elas sejam dadas 

À cenas e tentativas

De humilhação,

E nessas passadas longas e descompassadas,

Essas gentes atrasadas

Acabam pisando

No próprio coração.


Pobre gente infeliz,

Que só enxerga, nas cores,

Uma única matiz,

Que só se sente mais forte

Tentando pisotear,

E que alegremente, dançam

Com suas pernas curtas

Sem nunca poder derrubar

Aquilo que jamais alcançam!





COMO SE NÃO HOUVESSE AMANHÃ

  Como se não houvesse amanhã, Ele acordou naquele dia se sentindo mais vivo, Abriu a janela e percorreu as curvas das montanhas Com as pont...