xmas

Free background from VintageMadeForYou

terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Conheço o Chão Onde Piso







São grossas as minhas solas,
A barra da saia está suja.
Encrustados no tecido
Estão os perfumes mais doces
E a lama nauseabunda;
Conheço o chão onde piso.

Sei precisamente o que
Está depois do horizonte,
Entendo o amanhecer,
As águas dos rios e as pontes.

Eu sei dos besouros afoitos
Pousados em cada moita,
Dos cantos dos passarinhos
E do ruído imperceptível
Do seu pouso silencioso.

Conheço a voz de Baal,
Eu conheço a voz dos homens,
Mas ouço as vozes dos anjos.

A água da fonte passa,
Recolhe a lama das margens,
Toneladas de pedrinhas
E leva na enxurrada.
A água da fonte passa, 
Constrói o limo das pedras,
Proteção aveludada
Que mantém limpas as mágoas
E leva, em deslizes súbitos
Os pés que pisam mais duro
Para o fundo das suas águas.

Conheço o chão onde piso,
E os rostos que cruzam comigo,
E o que os olhos dizem,
O que as bocas não proferem
Mas ferem, mesmo caladas.

Conheço o chão onde piso,
Por isso, meu passo é firme,
E tanto faz, se eu sigo
Sozinha em minha jornada:
O destino que me aguarda
É o mesmo de toda gente;
Daqueles que foram tudo,
Dos que hoje ainda o são
E dos que não são mais nada.




quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

TUDO PASSA








O dom do esquecimento
Espera na sala vazia,
Descansa nos versos
De uma poesia
Que verte as mágoas.

Mergulha nas águas
E depois, emerge
Secando na margem
As pontas das asas.

-Tudo passa!
A memória anota
Os acontecimentos
De um jeito só dela,
Pintando com a dor
Uma nova tela.






NAVALHA









O corte foi tão fino,
Que eu mal senti.
Depois, uma linha de sangue
Vermelho incandescente
E quente
Virou cascata.

Na alma remendada,
A extensa cicatriz em relevo
Sobre a pele maculada.





AZUL






Preciso descansar meus olhos
Depois de tudo que eu vi,
E é no azul absoluto,
Na caixa aveludada do céu
Que hei de pousá-los.

Por horas a fio,
Não quero ver mais nada,
Com linhas azuis
Eu vou costurar
A íris rasgada.






Você é um Cachorro!!!








Nunca me iludi a respeito da sua verdadeira natureza: você é um cachorro, e eu soube disso no primeiro momento em que o conheci, naquele primeiro dia, na primeira troca de olhares. As pessoas tentaram me avisar: “Agora que você está finalmente livre para fazer do seu tempo e da sua vida o que bem entender, vai se deixar envolver outra vez por um cachorro desses?”  Porque eu ainda estava me recuperando de um trauma muito grande, relacionado a um outro cachorro que acabara de sair da minha vida, deixando muitas lembranças. 

A gente pensa que após um caminho doloroso, a única saída menos dolorosa é o fim; mas quando o fim chega, nos vemos completamente sós, com um espaço enorme em volta e uma vida inteira para recomeçar, apagando velhas marcas doloridas e guardando nas gavetas do coração tudo aquilo que ficou de bom. Eu estava naquela fase do luto por uma grande perda, e se alguém me olhasse atravessado, esbarrasse em mim ou me dissesse ‘bom dia,’ já era o suficiente para que eu me desmanchasse em lágrimas. Eu estava mesmo naquela fase de andar por uma casa vazia e silenciosa, buscando algo que eu sabia que nunca mais encontraria. 

Então eu vi você. E você fez tudo o que um grande cachorro faria para chamar minha atenção: jogou charme, trocou comigo aquele olhar 43, pegou na minha mão, fez todos os truques que seres como você usam para colocar por terra as defesas das pessoas que desejam dominar. E eu consegui resistir. Mas naquela noite, seus olhos me olhavam na escuridão do quarto, e sua voz me perseguia. Eu tinha sido fisgada, e era irreversível.

E você entrou na minha casa já ‘botando banca’ de proprietário, invadindo tudo, trocando plantas de lugar, eliminando obstáculos e fazendo de cada canto o seu próprio playground. No começo, eu me arrependi: “Ah, eu não quero passar por tudo aquilo de novo!”  Mais tarde, eu soube que você vinha de um relacionamento frustrado e traumático, e percebi que juntos poderíamos conseguir superar o passado. E então eu me entreguei. E quando isso aconteceu, nós nos tornamos inseparáveis. Você tornou-se parte da família. Jamais conseguiu substituir o que se foi, e nem era esse o propósito, mas conseguiu criar seu próprio lugar dentro dos nossos corações. Sem nunca deixar de ter sido um cachorro. E ainda me convenceu a trazer para dentro de minha casa uma companheira para você, que não passa de uma cadela, mas que eu aprendi a amar muito.

E eu jamais sonharia que vocês fossem outra coisa qualquer. Vocês são cachorros, e é isso que me faz amá-los. Vocês não têm nenhum traço de maldade, arrogância, mentira, enfim, são alegria pura misturada às vezes com um pouco de nitroglicerina e muita malandragem. Quando estou desiludida com a atitude das pessoas, nós vamos sentar lá no gramado, e fico observando enquanto vocês brincam, ou perseguem a sombra das borboletas que passam, ou latem para os passarinhos, e de repente, tudo fica muito mais leve, alegre e puro. Acho que inocência contagia. 

Eu jamais faria nada para humanizar vocês. Nunca os levaria a um terapeuta de cães ou treinador que tentasse ensinar-lhes “bons modos” ou truques engraçadinhos para satisfazer o ego humano. Não gosto sequer de colocar lacinhos de fitas ou gravatinhas, embora eles às vezes façam isso nas pet shops. Banhos? Nada dessa coisa de dar banhos toda hora, pois isso não faz parte da natureza de um cão. Vocês são cães, e se eu me distrair, aparece uma poça de xixi no pé da mesa. Vocês fazem buracos no jardim, e há pelos voando pela casa toda. Às vezes, latem durante a noite, e nos acordam. Mas quando é de manhã, eu abro a porta da cozinha e lá estão vocês, cheios de alegria e entusiasmo para começar um novo dia, e isso é absurdamente contagiante!

Uma vez eu li em algum lugar que os cães são felizes porque eles vivem o momento. Desde aquele dia, eu comecei a reparar nisso, e a tentar agir como um cão. Nossa... quanto lixo eu já deixei para trás depois daquilo! E eu sei que ainda há muita coisa canina que eu preciso incorporar na minha vida, como por exemplo, a capacidade enorme que vocês têm de perdoar e esquecer, e estarem sempre prontos para recomeçarem de qualquer ponto da vida, mesmo após maus tratos e traumas que fariam qualquer ser humano tornar-se desconfiado e medroso para sempre. Ainda hei de aprender isso também. 

E quem não compreende o amor entre cães e seus donos, eu aconselho que pelo menos tentem, um dia desses, trocar um olhar profundo com um cão durante algum tempo, e se isso não conseguir abrir seus corações, é sinal de um problema emocional muito profundo. É sinal de que você necessita de um cão o mais rapidamente possível. 
















sábado, 8 de dezembro de 2018

Decisão










Eu fico com o que somos.
Do que fomos, já não resta
Quase nada, a não ser
Marcas de passos no chão,
Perfumes de amanhecer
Ruídos de fim de festa.

Não quero olhar pela fresta
E ver o que está guardado
Nalgum lugar impossível,
Vencido, inacessível,
Porque são fantasmas híbridos
Daquilo que nos restou.

Eu fico com o que somos
Após todos esses anos:
Passos muito mais pesados
Mas bem menos apressados
Pelo chão que conhecemos
Num cenário que mudou.

O teu rosto envelhecido,
Diante do meu, tão marcado;
Olhares que se desvendam.
O resto, é só o passado
Na prateleira esquecido,
Por trás do espelho rachado.






Lula Livre?

Lula Livre? Gostaria de dizer o que me incomoda nesta frase. Não é bem a liberdade de Lula, mas a maneira como ela foi co...