Canto








Canto,
Enquanto cai o pranto,
Escorre entre meus dentes
Lavando meu sorriso
Enquanto desce...

Olhos fechados,
A alma aberta,
Escancarada
Como as janelas
Da minha casa...

Canto no escuro,
No sol, na chuva,
Porque não existo
Quando não canto!

E do meu canto,
Enquadro o mundo...
Ângulos vários,
Sono profundo...





Comentários

  1. Oh absolutely...never stop singing!
    Wow...this is incredibly beautiful and moving, Ana.
    Gosh, what a talent! :))

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Ana, tão verdadeiro: "Porque não existo quando não canto."
    Cantar pra mim é uma forma de iluminar minha alma.
    Quando jovem, amava ir aos concertos da juventude no Teatro Municipal, mas o que vivia cantarolando eram as músicas de roda de minha infância.
    Lindo poema, rica expressão: "Porque não existo quando não canto."
    Felizes dias, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  3. Lindo, devemos entoar um canto sempre todos os dias não importa a situação. Parece mágica qdo a gente canta tudo muda e melhora.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Cantar sempre ajuda a semear novas esperanças e alegria.

    Beijão Ana!

    ResponderExcluir
  5. Boa Tarde, querida Ana!
    Enquanto a alma está aberta, é tudo possível de melhorar no entorno...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  6. É por trás da escuridão dos olhos fechados que se abre a alma. :) Boa semana!!

    ResponderExcluir
  7. Um belo canto do encanto.
    Linda inspiração e construção deste enveredar-se pelas alegrias que nos cercam se nossos pensamentos estão em liberdade e de nossos lábios brilham o sorriso e o canto aflora.

    Abraços amiga.
    Bjs de paz.
    Um bom lindo fim de semana Ana.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos