quarta-feira, 11 de abril de 2012

A LIBERDADE










A Liberdade


A liberdade
É poder escolher livremente
A qual fio
Se deseja ficar preso.


A liberdade
É poder escolher as amarras,
As masmorras
Aonde tu melhor cabes.

A liberdade
É sorrir,
Mesmo sabendo que morres,
E sonhar com o infinito
Que te acolhe.

A liberdade,
Ah, essa vadia,
Que te tolhe e te encanta
Com sua melodia,
Esta, que ninguém canta,

Pois a letra é recitada
Em uma língua desconhecida...

Liberdade,
Oh, ave sacripanta!



5 comentários:

  1. Sinto saudades de você. Veja, está rolando uma ciranda na minha Escrivaninha. Venha participar!Eu ficaria muitíssimo feliz. Sabe,venho aqui sempre, mas é difícil de fazer um comentário. Agora entendo a razão dos meus leitores e amigos preferirem comentarem no RL. Seu blogger está cada dia mais lindo e repleto de inspiração, luz e cor. Parabéns, Ana querida.

    ResponderExcluir
  2. faca de dois gumes, lindamente despejada em versos (liberdade) essa liberdade que todos ansiamos, queremos, e se a temos, nao sabemos onde pô-la... o que fazer com ela...!!! bjim de boa noite.. olguinha costa .

    ResponderExcluir
  3. E sigo então livremente, arrastando pelas ruas e becos, minha pesada bola de ferro... Parabéns Ana Bailune e um ótimo dia. Beijão! Marcelo Braga. VORTA BALUNA!!!! rsrs...

    ResponderExcluir
  4. A liberdade descrita de uma forma profundamente poética e bela. Bjsss

    ResponderExcluir
  5. Olha quem apareceu, o borbolêto bem dotado. Liberdade para as borboletas.///Que Latifa se recupere.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...