quarta-feira, 25 de abril de 2012

COMPETIÇÃO - FÚRIA DE TITÃS





Eu às vezes me pergunto o porquê dos seres humanos terem criado a necessidade de competir, de mostrarem quem, dentre nós, é o melhor, o mais preparado, o bonzinho. A todo momento, a raça humana sai por aí, criando opostos: bom/mau; inteligente/estúpido; competente/incompetente. Nem sequer atentam para o fato de que todos nós, em diferentes momentos da vida e em diferentes funções, passamos por estes extremos! A necessidade de competir é tão grande, que as pessoas matam e morrem por  aquilo que eles chamam de “vitória!”


Vencermos  a nós mesmos, todos os dias, superando defeitos, aprendendo a ser pessoas melhores – não melhores que as outras, mas melhores que nós mesmos- já é uma tarefa tão difícil...


Uma vez, alguém me disse que a própria natureza é que nos fez competitivos, e citou a seleção natural como exemplo; na natureza, apenas os mais fortes sobrevivem. Mas alguém aí já viu leões competindo para ver quem é capaz de abater o maior número de presas? Não! Eles não são estúpidos a esse ponto... abatem apenas a presa que lhes saciará a fome naquele momento.


Nós não precisamos comer uns aos outros para sobreviver.


Mas o que há por trás do desejo de competir? O que se esconde sob a capa do título de ‘vencedor,’ tão almejado hoje em dia? Talvez uma enorme insegurança e uma falta de satisfação e aceitação pessoal tão grandes, que é preciso disfarçá-las, trazendo-as para fora, jogando-as sobre os outros.


Para que alguém segure a taça de ‘vencedor, é necessário que muitas pessoas, na maioria das vezes tão ou mais competentes, ergam a triste taça de ‘perdedor.’ Vencer nem sempre significa ser o melhor; a toda hora, vemos isso em concursos de beleza e de canto, eventos esportivos, etc. porque todo mundo pode ter um dia ruim, em que a capacidade pessoal de realização esteja embotada.


Acho que viver seria bem mais simples se cada um cuidasse de seu próprio cantinho, varresse a própria calçada, e colaborasse com o outro, ajudando quando puder e não estragando as coisas ‘do outro lado.’ Assim, quem sabe, a palavra ‘competição’ tornar-se-ia algo bem mais interessante, como por exemplo, ‘colaboração?...’


Publicado no RECANTO DAS lETRAS em: 29/07/2011 08:39:16

2 comentários:

  1. O que mais detesto na competição é a inevitável derrota, ela acontece, mesmo quando venço..um vazio que aperta na garganta...

    ResponderExcluir
  2. o homem foi dotado de várias faculdades e ao desenvolvê-las foi caminhando para uma seleção e para essa seleção foi preciso de? bjuuu

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...