quinta-feira, 26 de abril de 2012

Micos do Passado



Quando nos casamos, moramos durante sete anos em um apartamento próximo à casa dos meus sogros. Era bonitinho, mas tinha um porém: ficava no andar térreo, e em frente a ele, a apenas alguns passos, havia um bar/mercearia. Os donos do bar - do qual éramos clientes- eram jovens estudantes de Direito. Todos gente boa... vizinhos antigos do bairro.

Durante o dia, eu e meu marido trabalhávamos fora, só voltando para casa à noite; portanto, durante a semana, só íamos para casa para dormir. E tudo era uma maravilha, exceto pelas sextas feiras. Os meninos que eram donos do bar, gostavam de reunir os colegas de faculdade à noite. Apesar da cervejada acontecer dentro do bar, por trás das portas fechadas, devido a proximidade ao nosso apartamento, era difícil pegar no sono. Mas nós aguentávamos; afinal, nós gostávamos dos garotos, eram nossos vizinhos, e nós, seus clientes. E também já tínhamos sido tão jovens e barulhentos quanto eles.

Mas em uma certa sexta feira, meu marido precisava muito descansar, pois andava adoentado. A farra corria solta naquela noite, mais do que nas outras! Acho até que o número de pessoas na 'festa' era bem maior do que o normal, tanto que, em certa altura, eles abriram a porta do bar e foram para a rua.

Dentro do apartamento, não dava para escutar nem a nossa própria TV! Mas estávamos aguentando firme, até que uma garota berrou: "Aí, pessoal! 'Desiste,' porque ninguém vai dormir esta noite! Uh-huuu!" Aquilo me tirou do sério, e comecei a perpretar uma vingança maligna... a única coisa que tínhamos para levar o nosso plano adiante, eram os ovos na geladeira. Os carros estavam estacionados ao longo da calçada.

Meu marido, vencendo a forte gripe que o abatia, foi lá para a rua, escondendo-se atrás dos carros, e quebrou vários ovos nas maçanetas das portas e pára-brisas.

Foi muito divertido ouví-los indo embora após a festa. Demos gargalhadas, principalmente ao ouvirmos a mesma voz feminina gritando: "Aiiii!!! Que coisa pegajosa é essa aqui?! É oooovoooo!"

A vingança é um prato que se come cru. Mesmo que seja ovo.

7 comentários:

  1. Ai Ana, essa foi de rachar de rir!....RSS...como somos malvadas,mas adorei essa pequena vingança!...rss...bjs,

    ResponderExcluir
  2. kkkk Estou em cólica de tanto rir, brincadeirinha, mas que foi engraçado ah foi! boa noite!

    ResponderExcluir
  3. Boa noite minha querida!
    estou aqui no seu cantinho para agradecer seu comentário no Recanto dos Autores...valeu minha linda...me deixou feliz...deixo bençãos para vc...
    bjssssssssssss

    ResponderExcluir
  4. Não sou de me vingar, sou de ignorar. Numa situação dessas acho que chamaria a polícia. (Risos) Abraços

    ResponderExcluir
  5. Hola, concisas y precisas letras van desnudando a golpe de talento la profunda belleza germinal de este blog,si te va la palabra elegida, la poesía, te espero en el mio, será un placer,es,
    http://ligerodeequipaje1875.blogspot.com.es/
    gracias, buen día, besos versados.

    ResponderExcluir
  6. Eu chamaria, Ysolda, eu chamaria... se eles não fossem estudantes de Direito, e os policiais da cidade não estivessem, alguns, lá farreando também...

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...