quarta-feira, 25 de abril de 2012

A VERGONHA



Alguns sentimentos são associados à morte, em expressões populares: morrer de medo, de tristeza, de inveja, de vergonha. Talvez seja porque estes sentimentos, quando perdem o controle, podem realmente, matar alguém. Às vezes, a pessoa a quem eles são dirigidos, mas na maioria das vezes, a pessoa que os sente e não consegue controlá-los. Já é sabido que estas e outras emoções negativas podem desencadear uma série de doenças (recomendo, a quem se interessar pelo assunto, leituras sobre doenças psicosomáticas).

Mas hoje eu escolhi falar sobre a vergonha.

Quem nunca sentiu vergonha? E quem nunca percebeu que, na maioria das vezes, a vergonha é um sentimento muito mais associado ao que fazem as pessoas próximas, do que ao nosso próprio comportamento? Por exemplo: podemos sentir vergonha da amiga escandalosa, do pai alcóolatra, do marido violento, do patrão agressivo... sentimos vergonha de estar em locais públicos em companhia de certas pessoas.

Mas o sentimento da vergonha também pode estar associado a nós mesmos. Sentimos vergonha de nossas roupas, quando não as achamos adequadas a uma situação. A maioria de nós sente vergonha até mesmo do próprio corpo! Alguns sentem vergonha de sua condição social ou do seu grau de instrução. A consequência da vergonha pode ser a construção à nossa volta, de um mundo imaginário; daí, surgem as imagens (falsas) do marido perfeito, da infância maravilhosa, do status elevado.

Mas seja qual for o tipo de vergonha que sentimos - de nós mesmos ou de pessoas próprias - a vergonha destrói. Ela começa por associar-se à mentira, a fim de combater aquilo que nos envergonha. Depois, ela mina nossa autoestima, e nos faz ter medo de que descubram  a verdade sobre nossas fantasias. As pessoas podem pensar que alguém é totalmente frio e seguro de si, quando na verdade, é apenas movido pelo fantasma da vergonha, tentando assim, parecer imbatível. Daí, pode resultar a agressividade.

Quem sente vergonha, acha que deve alguma coisa a alguém. Preocupa-se demasiadamente com a opinião alheia. Acho importante, quando sentimos vergonha, nos perguntarmos o que está causando este sentimento, porque o fato é que quando eu sinto vergonha da amiga escandalosa, eu tenho medo do que os outros vão pensar DE MIM por estar na companhia dela; minha vergonha não é por ela, é por mim mesma! Não seria, então, resultado da minha insegurança?

É verdade; algumas pessoas realmente MORREM de vergonha. Fecham-se cada vez mais em si mesmas, por vergonha de terem suas fraquezas descobertas - como se todas as pessoas não tivessem seus defeitos e fraquezas. Admitir-se frágil e vulnerável, para mim, é uma demonstração de força. Não ter vergonha de si mesmo, ou de pessoas próximas, amando-as como elas são, é sinal de maturidade. Todos estamos neste mundo pelos mesmos motivos, e embora alguns estejam mais à frente na caminhada, não estamos muito distantes uns dos outros. Se estivéssemos, não estaríamos aqui, todos convivendo no mesmo planeta.

Então, ter vergonha por que?

2 comentários:

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...