terça-feira, 17 de abril de 2012

A MENTIRA




A MENTIRA


A mentira
Não é incolor;
Ela tem peso, cheiro e cor.

Seu cheiro permanece
Bem à volta de quem mente,
E o mentiroso, nem sente!...

Ela constrói uma névoa
Entre aquilo que és
E o que dizes ser.

Oh, inconsistência,
Falso gostar,
Fraco querer!...

A mentira só destrói:
A confiança, o amor,
A esperança.

Foi feita para ferir,
Enganar e afastar.
É tão triste, mentir!...

Triste, é olhar nos olhos de quem mente,
E vê-los brilhar, com aquele brilho estranho,
Inconfundível, medonho, tacanho!
Ouvir a voz vacilar, tortamente,
Sentir a lâmina das palavras que são ditas,
Repetidamente,
Em uma tentativa mórbida de convencer
Aquele a quem se mente!

Prefiro calar-me;
Tentar confrontar um mentiroso,
É inútil e cansativo...
É um jogo de palavras
No qual não haverá vencedor,
Pois todos perdem:
Quem mente, a quem se mente
E o amor...

2 comentários:

  1. Bom dia Ana, que lindo poema, mas essa cobra me dá calafrios, aff! só de imaginar já me dar náuseas, kkk beijocas♥

    ResponderExcluir
  2. O que dizer Ana, quem muito quer convencer, já cismo de primeira, coisas do tipo: JURO POR DEUS, oras, fale por si, não por Deus. E o amor... será que quem se habitua com atitudes assim AMA? Penso que nem a si mesmo, e isso é o pior desamor que pode existir. Parabéns Ana. VORTAAAAAA ANNAAAAA.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...