terça-feira, 24 de abril de 2012

A Montanha



Lá do alto, a montanha observa a planície e as criaturas que vivem sobre ela. A montanha é altiva, e sabe-se objeto dos muitos sonhos dos que vivem na planície, mas ela não tem orgulho. Mas também não é condescendente com aqueles que desejam galgá-la: trata a todos igualmente, enviando tempestades quando tem que enviar, não importa em que ponto da escalada eles estejam.

Muitas vezes, ela manda um pouco de neve; em outras, um calor escaldante. Quem quiser vencê-la, precisa aprender a sentí-la, entender seus humores e basear sua escalada de acordo com eles. De nada adianta lutar contra o seu vento, a sua chuva ou o seu sol. É preciso adaptar-se a eles.

A montanha é linda, e alcançar o seu cume é um momento inesquecível; poucos conseguem, mas os que chegam lá, olham para baixo e tem uma nova compreensão sobre a vida. Uma nova visão e entendimento, muito mais profundos. Mesmo os que não conseguem chegar ao cume, mas ao menos, tentam a escalada, sempre aprendem alguma importante lição que levam consigo pelo resto da vida. Até aqueles que tentam e caem, perdendo-se no abismo, lucram mais do que aqueles que permanecem na segurança da planície.

A montanha não deseja ser decifrada; ela deseja ser aceita. Ela quer ser galgada, não por ambição, mas por amor. Amor puro. Ela não dá aos alpinistas nenhuma forma de garantia ou segurança. Ela só dá, a cada um, o direito ao próximo passo. O direito a ter esperanças. O resto, cada um terá que conseguir por si mesmo, com a ajuda da própria fé.

2 comentários:

  1. Cada vez que venho aqui me surpreendo com o layout ou com belíssimas poesias que tocam e arrepiam os pelinhos da perna, sensacional amiga!

    ResponderExcluir
  2. CADEIA DE MINDIM

    MONTANHA

    No
    Trilho
    O viver.

    No
    Cume
    O vencer!


    bjuuu

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...