sábado, 14 de abril de 2012

EU SOU











Eu sou a luz que brilha


Que te ilumina


E que te cega,


Centrada no alto


Da tua treva.






Eu sou o chão que te falta


E o abismo que te acolhe


E que recolhe


Teus passos claudicantes.






Eu sou aquele que te leva


Ao limiar da tua queda


E que te empurra


Quando tu medras.






Eu sou a voz que tu sufocas


E o medo que te derrota,


Eu sou a faca que te corta


E o teu sangue, quando jorra.






Eu sou a dor, na agonia


Da esperança que tu tinhas


E que te deixa


Sentado à beira de uma estrada


Diante do teu nada.






Eu sou o sol no horizonte


Que banha a tua fronte


E que te salva


Da escuridão da tua alma.






Eu sou aquele que te fala


E que declara


Que o amor que tu sustentas


Nem sempre vence.






E quando a dor chegar, te ergas,


Vá à janela


E grite alto, muito alto,


Quando a esperança estiver morta,






Pois é tolice tentar ser


Demasiadamente forte,


Conter o grito que te nasce


Depois do corte.

10 comentários:

  1. Profundo...profundo... e belíssimo Ana,Te desejo um sábado feliz! Bjss

    ResponderExcluir
  2. Lindo Dia Ana,Sabe eu penso que você é mesmo uma enigmática,
    e uma grande artista ,que nos homenageia com um visual cada dia diferente
    para nos saudar.Eu adorei este pano de fundo.A poesia bem profunda.
    Sucesso,querida.Bjus\Flor*Bom fds.

    ResponderExcluir
  3. Lindo demais Ana, as vezes o grito é tudo o que resta, eu grito, mesmo que ninguem mais me ouça, eu grito !! Bjo do Diario de um Louco

    ResponderExcluir
  4. Ana,simplesmente linda demais sua poesia!Mostrar o que somos, sem medos e máscaras não é pra qualquer poeta!Adorei!bjs e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  5. Pois é. Eu sou um poeta que adora ler você. Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Ah, esse grito tem que sair sim, ele é que vai aliviar o peso dos ombros e recarregar as baterias para prosseguir em frente. Bom domingo pra você. Helena

    ResponderExcluir
  7. AMEI ANA, ASSIM É A VIDA E ASSIM SOMOS NÓS, AS VEZES FORTES AS VEZES FRACOS, AS VEZES GRITAMOS QUANDO FRACOS OU CALAMOS, E VICE VERSA.CRIS VITOR, AINDA NÃO SEI QUAL PERFIL SELECIONAR POR ISSO COLOCO ANÔNIMO.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...