sexta-feira, 13 de abril de 2012

Trazendo os Bichos Para Fora





Quem me conhece, sabe o quanto eu adoro escrever... se pudesse, passaria a maior parte do meu tempo me dedicando a esta atividade! Acho divertido, além de espiritualmente enriquecedor, pois quantas coisas descobri sobre mim mesma através da minha própria escrita!...



Mas tanto quanto eu gosto de escrever, eu gosto de ler. Saber o que as outras pessoas pensam, quais as suas opiniões e experiências de vida, pois a gente também aprende muito assim. Ler, para mim, significa entrar na mente de outras pessoas, e olhar o mundo através dos olhos dela. Mesmo que eu não concorde com seus pontos de vista, é bom trocar idéias. E é isto o que fazemos ao ler e escrever: trocamos idéias. Aprendemos e ensinamos. Concordamos e discordamos, e muitas vezes, mudamos de idéia. Passamos a pensar diferente.



Jamais quero colocar um ponto final nas minhas idéias e crenças. Desejo estar sempre aberta ao novo, e sempre disposta às mudanças. Não quero estagnar: quero entender! Quero aprender a ser inteligente o suficiente para dizer: "Eu estou errada," quando for o caso. E nem sempre é fácil. Mas escrever me ajuda bastante.




As religiões sempre falam na importância de perdoar e amar aos inimigos, mas o que eu acho que ninguém entendeu até agora, é que o maior inimigo que nós temos, o que mais precisa de perdão e compreensão,somos nós mesmos! Há certas partes em nós que negamos e tentamos sufocar, partes que talvez não sejam tão 'politicamente corretas' ou que não seguem aquilo que os outros determinaram como O Certo. Temos que desmistificar o medo que temos de trazer estas coisas para fora. Faço isso quando escrevo. Por isso, tenho alguns poemas que podem ser considerados bastante negros... e alguns deles falam de mim mesma.



Uma vez, ouvindo um sermão de um religioso, fiquei pasma ao ouví-lo dizer o quanto é necessário que sufoquemos o mal dentro de nós, fazendo todo o possível para deixar apenas o Bem vir à superfície, e que a única maneira de fazer isto, seria seguir a religião dele. Ora, tudo o que sufocamos, um dia fica tão acumulado, que explode! Daí, as grandes catástrofes emocionais, como depressão, ataques de raiva e até assassinatos. O mal tem que ser aceito, entendido, educado.



Também por isso, eu escrevo.

7 comentários:

  1. Oi amiga Ana, já falei para ti que me identifico muito contigo né! Temos as mesmas afinidades e temos opiniões iguais. A respeito desse religioso achei muito cara de pau, chamar para seguir a doutrina dele, pois até o próprio Deus deu a nós o livre arbítrio, para seguirmos o caminho que quisermos. A maioria das pessoas estão cegas espiritualmente e acreditam que Deus está em quatro paredes, como na verdade Deus está dentro de nós. beijos ♥

    ResponderExcluir
  2. A senhora escreve e a agente fica viciado em ler o que a senhora escreve. Não concordo com um monte de coisas que a senhora escreve, a senhora não concorda com um montão de coisas que escrevo. Mas eu estou em vantagem. Lendo a senhora eu aprendo muito, acabei de aprender que o verbo ler não tem capeuzinho na letra E. Não sei se lembrarei disso na próxima vez que eu escrever a palavra verbo lêr.

    ResponderExcluir
  3. Ana,que excelente reflexão nesse texto tão bem escrito!Eu adorei!bjs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem verdade o que falas.
      A escrita e a leitura nos levam a diversas partes do mundo, através DELAS, podemos nos descobrir, e fazermos o voo sem asas no universos do nosso EU. Bela sua crônica, abrigado pela assiduidade no meu cantinho. BFS.

      Excluir
  4. Oi minha querida, fiquei super feliz com sua companhia no meu recanto e com muita alegria venho acompanhar o seu.
    Que bom que voce escreve, Ana, acho fantástico usar a escrita como algo catártico, ao contrário do tal religioso, sabemos que de nada adianta sufocar, esconder "pra debaixo do tapete" aspectos nossos, que na verdade, precisam vir à luz e serem trabalhados.
    Assim como voce, também gosto de escrever e de ler... tão bom essa interação de idéias.
    ótimo final de semana, beijos...voltarei...
    Valéria

    ResponderExcluir
  5. Olá querida amiga Ana, ameu teu lindo blog, e teus textos são maravilhosos, serei um eterno seguidor. (o que aconteceu que você sumiu do Recanto?) estou sentido falta dos teus poemas. "visita-me no meu blog, ficarei muito feliz. >entreoamoreomartirio.blogspot.com<

    ResponderExcluir
  6. é... esse dá ate preguiça de dizer o que penso porque daria outra crônica... mas, eu nao me atenho a mais nada, seja bom ou ruim to escrevendo...bjuuu

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AH, OS ITALIANOS! - Parte I

Eu em Veneza - Gondoleiro! Durante nossa curta estadia na Itália, não ficamos em hotel. Alugamos um pequeno apart...