quinta-feira, 5 de abril de 2012

O CAMINHO DA FLOR





Queria voar, queria existir,
Bem além do seu jardim.
Pétalas erguidas ao céu,
Recebiam a chuva e o sol,
Mas desejavam o vento
Que a erguesse
E a levasse
Para muito além
Daquelas paragens.

As outras flores riam,
Não entendiam...

Fechavam-se à noite,
E ela, se abria toda!
Despertavam bem cedo, pela manhã,
E ela, quase ao meio-dia...

Flor rebelde, que queria
Fortemente, o que não conhecia....

Até que um belo dia...

Veio o vento, e a levou
Para o céu, em vis rajadas!..
As outras flores, amedrontadas,
Lamentavam o destino
Da amiga enlouquecida.

Enquanto isso, ela voava,
E olhava, lá de cima,
A vida, as outras flores,
Passando por outros jardins,
Conhecendo outras fronteiras,
Sentindo o beijo da brisa
Deitado sobre suas pétalas.

Foi deixada em uma poça,
E morreu de morte encantada.




2 comentários:

  1. Realizou o sonho, e isso é o que vale. O resto é de somenos importância. Para vcê e os seus uma Páscoa de alegria. Helena

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Ah, os Italianos! - Parte II

Pôr do sol em Florença... jamais esquecerei. Continuação do texto anterior LIXO – Quando fui jogar o lixo fora pela pri...