quarta-feira, 4 de abril de 2012

DA PÁSCOA






Da Páscoa...

Da Páscoa, eu me lembro de minha irmã com caixas de sapato e papel de seda, fazendo 'ninhos' para o coelho por os ovos. Ela cortava alguns babados de papel, colava à volta da caixa, e depois, fazia palha fininha com o que sobrava dele, enquanto eu ficava imaginando o que encontraria na manhã seguinte.

Da Páscoa, lembro-me das quaresmeiras em flor. O morrinho ao lado da casa ficava salpicado de roxo e amarelo.

Da Páscoa, lembro-me de meus pais me acordando no domingo bem cedinho, e de eu levantar da cama correndo para ir olhar meu ninho de caixa de sapato, cheio de ovinhos de chocolate e bombons.

Da Páscoa, lembro-me da família reunida na sala de estar, assistindo àqueles filmes religiosos que passavam na semana santa, todos comendo bombons. Havia bombons que não existem mais, com sabores de frutas: figo, ameixa, pêra, laranja. Não gostávamos deles, e eram sempre os últimos a serem comidos.

Da Páscoa, lembro-me de minha irmã e eu, e das outras crianças do bairro, todos unidos depois do almoço de domingo, para mostrarmos nossos ninhos uns aos outros e comermos chocolate.

Da Páscoa, lembro-me do almoço em família, o cheiro do 'batatalhau' se espalhando pela casa.

Da Páscoa, lembro-me de nós no Teatro Mariano, para assistir, pela enésima vez, "A Paixão de Cristo." 

Da Páscoa, lembro-me do enorme ovo de chocolate que minha irmã mais velha ganhava do namorado, e que ficava sobre o móvel da sala de estar, por meses a fio, e no qual não podíamos nem sonhar em tocar... uma vez, ela demorou tanto tempo para abrí-lo, que quando o fez, ele estava todo mofado.

Hoje, eu sei do verdadeiro significado da Páscoa, mas quando eu era criança, eu o vivia muito mais intensamente, sem o saber...



5 comentários:

  1. E eu, ana, da Páscoa lembro-me das procissões, a que fazia meu pai levar-me. Postei lá no Recanto uma poesia sobre isso, "Procissão do Encontro".
    Também juntávamos palha para o coelhinho. Ilusões da infância que deixaram um doce sabor em nossas memórias.
    Parabéns por sua crônica.
    Feliz`Páscoa!
    Lu

    ResponderExcluir
  2. A INOCENCIA NOS FAZ MAIS FELIZ....... BELO TEXTO !!!! OLGUINHA

    ResponderExcluir
  3. Eu lembro da mesa do café da manhã, toalha de linho branca, louças postas com extremo cuidado, frutas, queijos... Tudo isto enfeitado com pequenos galhos das árvores do quintal.
    Um requintado charme, feito com coisas simples.
    Feliz Páscoa a todos!
    Beijos, Ana!
    Jorge

    ResponderExcluir
  4. Honestamente não sei se você se embasa em fatos ou cria todo esse clima, mas que é bem escrito isso não há dúvidas. E acima de tudo transporta.

    ResponderExcluir
  5. Interessante.em casa mamãe desenhava patinhas de coelh,com barro vermelho
    na parede de um vitrô e colava umas palhinhas para fingir que o coelho
    entrou por ai.Lindo recordar estas coisas Ana.significa que tivemos
    história.Sucesso.FELIZ PÁSCOA A VC EXTENSIVOS A FAMÍLIA.
    Bjus\Flor*

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Até um Dia!

Olá, pessoal! Por motivos pessoais, estarei fora da rede durante alguns dias. Volto em breve! Abraços! ...