sábado, 7 de abril de 2012

CAMINHADA








Eu caminho pela estrada
Com o sol sobre meus ombros,
O vento entre meus cabelos
Na rua, carros passando.

Pessoas cruzam o caminho
Que faço, sem me notarem...
Cada qual com seus problemas,
Compromissos e dilemas...

Eu caminho distraída,
Mas sempre presto atenção
Na beleza que goteja
Por sobre o meu coração:

Árvores, pássaros, flores,
Casas, vento, uma canção
Que sai por uma janela
entreaberta; um violão!

Eu caminho sempre em frente,
Nunca olho para trás!
Acolhendo cada curva
E a surpresa que ela traz.

O poeta sempre enxerga
Muito além do que se vê,
Desvendando novidades
Dentro da mesma paisagem.



4 comentários:

  1. Aos poetas, apenas para os poetas, a mesmma paisagem nunca é a mesma paisagem. Continue andando semm olhar pra trás que vão bater tua carteira

    ResponderExcluir
  2. Ana, também caminho olhando o que se passa a meu redor. Noto também os caminhantes que nem me enxergam, tentando imaginar o que se passa em seu interior. Escrevi um pequeno texto sobre isso, chama-se Caminhada, também, está lá no Recanto.
    É muito bom visitar seu blog. Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Impressionante poetisa, cada pequenos gestos é uma inspiração! beijos

    ResponderExcluir
  4. Ana, sua página está linda. Poemas muito belos e lindas imagens. Que bom te ler!!! Bjss

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...