sábado, 7 de abril de 2012

CAMINHADA








Eu caminho pela estrada
Com o sol sobre meus ombros,
O vento entre meus cabelos
Na rua, carros passando.

Pessoas cruzam o caminho
Que faço, sem me notarem...
Cada qual com seus problemas,
Compromissos e dilemas...

Eu caminho distraída,
Mas sempre presto atenção
Na beleza que goteja
Por sobre o meu coração:

Árvores, pássaros, flores,
Casas, vento, uma canção
Que sai por uma janela
entreaberta; um violão!

Eu caminho sempre em frente,
Nunca olho para trás!
Acolhendo cada curva
E a surpresa que ela traz.

O poeta sempre enxerga
Muito além do que se vê,
Desvendando novidades
Dentro da mesma paisagem.



4 comentários:

  1. Aos poetas, apenas para os poetas, a mesmma paisagem nunca é a mesma paisagem. Continue andando semm olhar pra trás que vão bater tua carteira

    ResponderExcluir
  2. Ana, também caminho olhando o que se passa a meu redor. Noto também os caminhantes que nem me enxergam, tentando imaginar o que se passa em seu interior. Escrevi um pequeno texto sobre isso, chama-se Caminhada, também, está lá no Recanto.
    É muito bom visitar seu blog. Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Impressionante poetisa, cada pequenos gestos é uma inspiração! beijos

    ResponderExcluir
  4. Ana, sua página está linda. Poemas muito belos e lindas imagens. Que bom te ler!!! Bjss

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Até um Dia!

Olá, pessoal! Por motivos pessoais, estarei fora da rede durante alguns dias. Volto em breve! Abraços! ...