sexta-feira, 6 de abril de 2012

BRILHO DE ESTRELAS E ANSEIO









Ninguém pergunta às estrelas

O porquê de seu brilhar,

Embora haja um motivo.




Para todos, basta vê-las,

E quem sabe, até ouví-las,

Como já disse o poeta.




Espalhadas no infinito,

As estrelas dos meus sonhos

Brilhando, em busca de rumo




Anseiam por um planeta

Que lhes forneça uma órbita

E um profundo céu escuro.




Existe em mim a vontade

De ter um anel de saturno

Brilhando sobre o meu dedo,




E uma estrela que cintile

E que traga alguma luz

Ao que me resta de medo.



3 comentários:

  1. Um anel de Saturno brilhando nos dedos... Até que cairia bem! Gostei, Ana! Quanto ao medo, é momentâneo, passará, querida. O importante é nunca desistir dos sonhos! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. O firmamento e seus poetas. Pelo menos isso nunca irá mudar, embora Vinícius temesse que sim.

    ResponderExcluir
  3. COMO SEMPRE UMA POESIA PROFUNDA E MUITO BEM ESCRITA. PARABENS ANINHA.CHAGASPIRES

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...