sexta-feira, 6 de abril de 2012

BRILHO DE ESTRELAS E ANSEIO









Ninguém pergunta às estrelas

O porquê de seu brilhar,

Embora haja um motivo.




Para todos, basta vê-las,

E quem sabe, até ouví-las,

Como já disse o poeta.




Espalhadas no infinito,

As estrelas dos meus sonhos

Brilhando, em busca de rumo




Anseiam por um planeta

Que lhes forneça uma órbita

E um profundo céu escuro.




Existe em mim a vontade

De ter um anel de saturno

Brilhando sobre o meu dedo,




E uma estrela que cintile

E que traga alguma luz

Ao que me resta de medo.



3 comentários:

  1. Um anel de Saturno brilhando nos dedos... Até que cairia bem! Gostei, Ana! Quanto ao medo, é momentâneo, passará, querida. O importante é nunca desistir dos sonhos! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. O firmamento e seus poetas. Pelo menos isso nunca irá mudar, embora Vinícius temesse que sim.

    ResponderExcluir
  3. COMO SEMPRE UMA POESIA PROFUNDA E MUITO BEM ESCRITA. PARABENS ANINHA.CHAGASPIRES

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Ah, os Italianos! - Parte II

Pôr do sol em Florença... jamais esquecerei. Continuação do texto anterior LIXO – Quando fui jogar o lixo fora pela pri...