domingo, 31 de março de 2013

Relâmpago









De repente, a luz,
Mas a que não salva;
A luz menos alva,
Que nos traz
A tempestade.

Prenúncio,
Presságio,
Revela a cruz
Sombra de nuvem,
Trovão.

E eu me encolho,
Crispando as mãos;
Recolho-te dentro
Do meu coração.





4 comentários:

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...