domingo, 31 de março de 2013

Memória






A memória chora
Pelo que ficou...
Antes,
Tivesse ido.

No silêncio,
Os risos...
Ecos
E fantasmas
Do que não está.

Cacos de vidro,
Sementes secas
Poeira seca,
Retratos
Amarelecidos..

Páginas abertas
De um negro livro
Que aprisionou
A luz
E o riso
Daquilo que não foi
Nem será, jamais,
Esquecido.


2 comentários:

  1. Agradeço a sua visita, vim aqui retribuir e dizer que outras vezes voltarei.
    Gostei a poesia e de seu blog.
    Um abraço.
    Élys

    ResponderExcluir
  2. O que seria de nós, sem a bendita memória?
    Eu não teria me deliciado, com versos tão bem postos!
    Certamente que não!

    Bom Domingo!
    Beijinhos...

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

VOLTANDO...

Veneza Olá, pessoal! Estive fora por uns dias, realizando um grande e muito antigo sonho: conhecer a Itália! Foi uma experi...