segunda-feira, 11 de março de 2013

O Amor





O amor
É todos os dias testado,
E esteja certo ou errado,
Considera o coração.

O amor
Está bem além do beijo,
E descansa, inalterado,
Sob arroubos de desejo.

O amor
É o perdão açucarado
Concedido, sem alardes
A quem quer ser perdoado.

O amor
É um querer que não se cansa,
E que mesmo adormecido,
Sempre mantém a aliança.

O amor 
Prevalece no final,
Acima do bem e do mal,
Pois amar é compreender.

O amor
Mora dentro do olhar,
O amor é tudo aquilo
Que eu mais preciso aprender.


2 comentários:

  1. Você e todos nós.

    Não tem mais de 15 minutos que comentei num outro blog, um outro post, que fala, de maneira absolutamente diferente a mesma coisa que você diz aqui...

    E eu repito, correndo o risco de ser "piegas", simplista ou o que for: O amor é a resposta de todas as perguntas. Quando aprendermos a amar, de verdade, além da carne, do desejo, das convenções, em todas as suas formas e cheiros, as coisas serão realmente diferentes...

    bjos

    ResponderExcluir
  2. Quanta verdade você nos fez lembrar, cara Anne, conhecer a si mesmo é uma tarefa contínua e difícil; poucos sabem que ela é essencial à vida, poucos se dão ao mínimo esforço de conhecer-se a si próprio. Se assim o fizessem, ainda assim não se conheceriam totalmente. Nós somos um imenso desconhecido. Por isso mesmo, temos que, cada vez mais e de modo intenso, perscrutar nosso interior, principalmente, antes de tecer julgamentos quanto a outrem. Minha cara poetisa, parabéns! Seu blog é uma beleza. Quanto ao que mencionou em seu comentário em meu blog, fique à vontade para pegar as poesias que desejar. Bjs de muito sucesso.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...