sábado, 2 de março de 2013

Agulhas Eficazes






Agulhas Eficazes


Tocamos a campainha e esperamos no corredor do prédio, até que com um estalo, a porta se abriu. Uma moça sorridente nos acolheu - meu marido já a conhece de longa data - e pediu-nos que tirássemos os nossos sapatos antes de entrar na sala de tratamento.

Olhei em volta, e encantei-me com os objetos: uma pequena fonte, velas, anjinhos, talismãs. No ar, um perfume delicioso  e músicas suaves. Após acomodar meu marido em uma das salas, ela veio falar comigo, convidando-me a entrar em uma outra sala. Conversamos por alguns minutos - era minha primeira vez com ela - e apesar de ser bastante reticente a respeito de estranhos, contei-lhe sobre algumas coisas que eu vinha passando nos últimos meses (ou anos) e que tinham me levado a procurá-la.

Ela sentiu meu pulso, de olhos fechados. Disse que meu nível de energia estava muito baixinho. Mandou que eu me deitasse na maca, e explicou-me o que iria fazer.

Começou a espetar-me as agulhas: no topo da cabeça, em alguns pontos dos pés e pernas, nos punhos e entre os olhos. Depois, enquanto apagava a luz, entregou-me uma pequena campainha e disse-me que a chamasse, caso sentisse algum desconforto. Fiquei lá por alguns minutos, até que de repente, senti uma vontade incontrolável de chorar, o que eu fiz  durante os quarenta minutos finais.

Foi um choro incontrolável. Mesmo que eu tentasse pensar em outras coisas, ou prestar atenção à música, eu não conseguia segurar as lágrimas. Parecia que tudo o que estava engasgado, finalmente saía aos borbotões. Coloquei para fora toda a angústia e o medo que passara nos dias em que minha mãe esteve no hospital. Chorei todas as lágrimas que ainda restavam a respeito da perda de meu sobrinho,e  também por tudo o  mais que vinha acontecendo.

Após aproximadamente uma hora, ela abriu a porta, e contei-lhe o que tinha acontecido. Ela me explicou que tudo aquilo tinha sido efeito das agulhas - ela focara em pontos onde havia energias estagnadas, que precisavam sair. 

Quando deixamos o consultório, eu me sentia alguns quilos mais leve, e muito aliviada. Continuo indo às consultas de acupuntura, o que tem trazido benefícios, como noites de sono mais tranquilas, mais calma, e uma redução bastante significativa da retenção de líquidos em meu corpo. Pesei-me ontem, e constatei que estou realmente mais leve - quase dois quilos - e até meu rosto e minhas mãos parecem mais finos.

A quem possa interessar, eu recomendo a acupuntura, mas procure por um profisisonal sério, experiente e muito bem qualificado. Existem várias pessoas que se dizem acupunturistas, mas que na verdade, mal sabem o que estão fazendo; por exemplo, colocam as agulhas por cima da roupa, o que pode causar problemas sérios, como infecções. Há também terapeutas que usam agulhas não-descartáveis, que ao final de cada tratamento, colocam em potes de vidro com o nome de cada paciente, mas isto não impede que se faça uma bela cultura bacteriana.

Você sentirá na pele e na alma, se estiver fazendo um tratamento com um profissional qualificado - ou não!



3 comentários:

  1. Estou em dívida contigo, ANA, mas para a semana cá estarei !.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Ando me sentindo assim.Parece que fiquei anestesiada,não chorei a saudades de papai
    meu irmão me disse que devo por para fora os sentimentos para não me sufocar.Hoje
    já faz um mes que papai se foi.Interessante,uma tristeza acompanhada de uma alegria
    Mariana.Bjus\Flor*Boa Matéria.

    ResponderExcluir
  3. .


    O termo; farofa de passarinho
    foi tirado do blog;
    Blog literário do vale da Ribeira.

    Um beijo e obrigado pela presença,
    sempre bonita, na minha página.

    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Até um Dia!

Olá, pessoal! Por motivos pessoais, estarei fora da rede durante alguns dias. Volto em breve! Abraços! ...