sábado, 16 de março de 2013

Lamento!...






Lamento  essa mal-querença
Que trazes dentro do peito.
Por que esse preconceito
Disfarçado de decência?

Passa o tempo, e leva tudo:
A carne, o sangue, as palavras!
De repente, ficas mudo,
De que vale tanta mágoa?

Sob o sol, nós caminhamos
E com o sol nos deitamos
Ao findar de cada dia.

E a noite traz no rosto
Um espelho, onde miramos
Nossas dores e desgostos...



5 comentários:

  1. AMEI ANA! A mal-querênca dirfaçada de decência... infelizmente, conheço muita gente assim!
    bjs,

    ResponderExcluir
  2. A este LAMENTO sou totalmente alheio, pois no meu peito não tenho espaço para mal-querenças !
    Estou, mais uma vez, maravilhado com os teus poemas !

    ( Desculpa as minhas ausências, sim ? Não significam de forma alguma falta de vontade de te visitar e deliciar-me com o que escreves ! )

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Ana, lindo esse LAMENTO. Gostei muito dessa verdadeira explicação:
    " Passa o tempo, e leva tudo:
    A carne, o sangue, as palavras!"

    Gosto muito de ler seus escritos
    bjs
    Manoel

    ResponderExcluir
  4. Lamentos e prantos... preciosa entrada.

    Beijos.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...