sexta-feira, 15 de março de 2013

Pedaços





De repente,
Sentimentos caíram da minha boca
Num jorro urgente,
Despedaçando-se no chão.

Achei um traço de poema
Sob a umidade de uma pedra do jardim,
E um outro pedaço, numa pétala
E ainda um outro, num galho de árvore.

Voaram fragmentos
Que pousaram , tranquilos, no alto do muro,
E de lá, sentados, balançavam as pernas
Displicentemente.

Havia letras esfaceladas
No meio dos fios da grama cortada,
E também, palavras presas
Num canto, na lama.

Mas alguns fragmentos se foram
Junto com o vento,
E estes, perderam-se para sempre.



4 comentários:

  1. Eles já não são mais úteis....beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  2. Pois.... fazer poesia é juntar estes fragmentos
    e colocá-los em ordem - na ordem de quem faz
    a poesia.
    Adorei esta tua ordem.

    ResponderExcluir
  3. Ana,muitas vezes as palavras se perdem pelo caminho,é verdade!Vc só escreve poesias lindas,eu adoro!bjs,

    ResponderExcluir
  4. Ana

    De repente,
    Sentimentos caíram da minha boca
    Mas alguns fragmentos se foram
    Junto com o vento,
    E estes, perderam-se para sempre.

    Lindos esses pedaços.
    bjs
    Manoel

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Exageros

    Assisti a um vídeo na internet no qual uma drag queen montada dava palestras em uma escola para crianças que, aparentemente, t...