domingo, 24 de março de 2013

A Vida é...






A vida é imprevisível, caprichosa, misteriosa, bandida. Todo mundo já ouviu uma destas afirmações alguma vez... na vida. Porque a vida é um cliché, e ao mesmo tempo, uma caixinha de surpresas. Como entender a vida? Melhor nem tentar muito, e ir vivendo-a como der, aceitando as coisas que ela impõe e não faz o favor de explicar. Mesmo assim, a vida ensina; aprende quem quiser.

E é triste constatar que muitas vezes a vida reapresenta situações, como as reprises de um filme antigo, porque ela quer que as pessoas aprendam alguma coisa, atentem para algum detalhe da história que elas não viram antes - porque foram até a cozinha pegar batatas fritas, ou foram ao banheiro durante o filme. Ou, simplesmente, caíram naquele sono quase hipnótico que o filme da vida, através da rotina, nos impõe. Bem, a vida passa uma ou várias  reprises, e nem assim as pessoas atentam para os detalhes; apenas prestam atenção ao sofrimento que vem com aquele padrão de repetição.

E o mais incrível, é que ao passar novamente por aquele caminho tortuoso, as pessoas até pensam, durante os piores momentos, que alguma coisa precisa ser mudada. Que se tiverem uma nova chance, farão tudo diferente. Que prestarão mais atenção ao que realmente importa dali por diante. Daí, passado o sofrimento, caem novamente na rotina da ignorância, voltam a repetir os mesmos padrões dormentes de comportamento e percepção. E voltam a sofrer. 

Tem gente que leva mais tempo para aprender, e tem gente que levará muitas vidas até perceber as coisas. Cada um tem o seu ritmo. Mas a preguiça e a má vontade não ajudam em nada... 

Eu olho em volta, e percebo. E fico triste porque eu realmente pensara que elas mudariam, passando a enxergar as coisas de uma forma mais amorosa e altruísta. Que o sofrimento as modificaria, trazendo mais clareza e compreensão, fazendo com que elas se sentissem mais como todas as outras pessoas: vulneráveis. Ao invés disso, elas tornam-se ainda mais duras, resistentes, julgadoras, orgulhosas. E continuam lutando por coisas que elas sabem que não trarão felicidade, pois mesmo depois de as terem obtido, elas não se viram felizes! 

E continuam a ignorar o que elas deveriam ter como a coisa mais importante da vida: o amor. Mas o que é o amor, senão mais um cliché?


Um comentário:

  1. Olá Ana, e que tudo esteja bem contigo!

    Pois é prezada Ana, nascemos pequenos para crescer, no entanto algumas pessoas pensam que crescer seja somente no tamanho físico, muitos sequer imaginam que crescemos na maneira de agir, e principalmente como tratamos o semelhante e tudo que nos cercam nesta nossa caminhada neste mundo a qual chamamos viver, algo também que muitos jamais fazem questão de fazer por merecer ter recebido esta dádiva!
    Ficou deveras belo o teu espaço como sempre, às imagens e principalmente os belos escritos que sempre nos fazem refletir, obrigado por compartilhar e parabéns pelas belas escolhas que por cá posta!
    E assim me vou, e agradecido deixo meu desejo para que o teu viver seja sempre de intensa felicidade, um grande abraço obrigado pelas generosas visitas e comentários e, até mais!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Anoitecer Suavemente...

Anoitecer devagarinho, Suavemente, Como uma teia de aranha que voa Pelo ar, Brilhando sem se notar... Anoitecer sem p...