domingo, 24 de junho de 2012

Terminar









Acho que desde o começo

Todo mundo está aqui 

Com um único objetivo: 

Aprender a terminar, 

Fechar, 

Concluir. 


Cada dia que começa 

Só pode nos levar 

Ao epílogo de tudo, 

Das coisas, 

De nós mesmos, 

Da vida. 



Terminar 

Sem perder-se em recomeços 

Mas reconhecendo o avesso 

Das aparências, de tudo... 


Por isso, amo o por do sol 

Mais do que o amanhecer... 

Ele é um marco, 

Uma lição em cores belas 

E definitivas, 

Que nos mostra 

Que não importa o que fizemos durante o dia, 

O final é sempre o mesmo: 

Ele termina. 


Assim, façamos o melhor... 



E as estrelas 

Continuarão sempre 

Um mistério indefinível 

A respeito do qual 

Nos perderemos em metáforas.



8 comentários:

  1. ah eu queria acreditar que partimos ao terminar,mas acho que vamos sempre pela metade,sem aviso,num pôr que não se pôs. gosto da clareza dos teus versos! abraços meus

    ResponderExcluir
  2. Poeta crepuscular
    olhar avermelhado de um quase
    fim
    as estrelas vão cintilar
    vai talvez pintar um luar
    mas o dia
    aquele dia de sol
    repleto de um cotidiano
    mas um dia do ano
    vai terminar
    a poeta vislumbrou tudo
    e gosta do fim do dia
    o silêncio do ziziar
    das cigarras
    as andorinhas adormecem
    na pausa da pauta de sol
    para mim começa a noite
    hora de amolar os versos
    meu gato vai passear
    nos telhados
    meu camaleão já está acordado
    hora de tecer poemas
    amanhã será outro dia:
    diz o grande Chico.
    Belo poema poeta
    seja feliz

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir
  3. Sim tudo e todos tem seu tempo...
    Beijo Lisette/

    ResponderExcluir
  4. O único que não respeita esse fim é o mar que insiste em ir e vir.

    ResponderExcluir
  5. Ana,coisa mais linda de msg nessa poesia!Adorei!Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  6. .



    Ana,
    O seu blog é encantador,
    mas o comentário que você
    fez no Blog do Bar do Es-
    critor, que não é meu, a
    não ser o texto em ques-
    tão, não tem preço.
    Adorei e agradeço a visi-
    ta o beijo e as portas do
    seu blog que você abriu
    pra mim.

    Um beijo do,

    Palhaço Poeta






    .

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Ah, os Italianos! - Parte II

Pôr do sol em Florença... jamais esquecerei. Continuação do texto anterior LIXO – Quando fui jogar o lixo fora pela pri...