segunda-feira, 25 de junho de 2012

Antes que Fuja...







Pega o poema que te chama 


E deita-o na folha, antes que fuja... 


Daqui a pouco, será tarde, 


E esta chama que agora arde 


Querendo ser fogueira, 


Será fumaça... 



Um poema passa, 


Mas não há de ficar para sempre 


Exigindo ser escrito... 


Um poema é uma chance, 


E mesmo que seja grito, 


Uma hora, ele se cala! 



Pega, então, e sem demora, 


Este pensamento arredio, 


Este verso fugidio, 


Efêmero e leve, que surge! 


Pois o tempo urge, 


E apaga o sentimento 


Que é deixado lá fora... 



Não aborte esta canção 


Que alguém sopra em teus ouvidos! 


Pois fostes escolhido 


Para dar-lhe à luz! 


Senta-te, e com reverência, 


Escreve mais este poema, 


E solenemente, agradeça!


8 comentários:

  1. UM POEMA É....UM POEMA. "NÃO ABORTE ESSA CANÇÃO....". ABR. CELSO

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Ana Bailune por essas narrativas tão acalantadoraa para a nossa alma! Abraços

    ResponderExcluir
  3. Assim se deve comportar o poeta, agarrando, de imediato, o chamado e o traduzindo em palavras. Esse sopro não pode ser desprezado. Muito lindo! Bjs.

    ResponderExcluir
  4. um poema não tem hora
    nos pega de improviso
    fica martelando, martelando e dá nessas belezas que a gente lê!Portanto, fugir é até pecado!

    ResponderExcluir
  5. Mas se deixar passar
    alguém o pega lá na frente
    sempre existirá poeta
    pescando borboletas
    cantos de bem-te-vi
    e poemas que deixamos
    escapar
    mas um estimulo desse
    é pra sentar
    e escrever um poema
    pois um poema
    sempre vale a pena.

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir
  6. Simplesmente perfeito.
    Que não haja mais fugas, especialmente em massa...

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...