sexta-feira, 15 de junho de 2012

Portas & portões


Casa antiga, onde hoje funciona uma pousada, na Av. Koeller


Sempre fico fascinada ao passar por casas antigas, com seus portões de ferro trabalhado... também me encantam as velhas portas de madeira pesadas e envelhecidas, a tinta craquelada. São como portais para um outro tempo!

Aqui mesmo, na minha cidade, existem várias casas assim. Uma que me despertava muito a curiosidade, era A casa dos Sete Erros. Até que ela foi aberta à visitação, e eu pude vê-la por dentro! O proprietário, orgulhoso, contou-nos a história de sua família. Bem, mas este seria assunto para mais uma crônica. Se desejarem saber, visitem a casa dos Sete Erros, que fica na Rua Ypiranga, aqui em Petrópolis. Ou... joguem no Google!

Casa dos Sete Erros



Eu sempre achei que as casas tem alma, e quanto mais antigas, mais misteriosas... 
Não me sinto tão à vontade nas casas modernas demais, principalmente, naquelas decoradas por profissionais. Apesar de achá-las muito lindas, sempre fico sentindo como se faltasse alguma coisa; casas modernas são como crianças muito pequenas, que ainda não adquiriram personalidade. 

O que está do outro lado deste portão? Não sei... mas fiquei bastante tempo olhando para ele, e enquanto eu tentava decifrá-lo, alguns personagens foram começando a surgir em minha mente... e eu sei que eles vão ficar por aqui, até que eu preste atenção neles, e decida escrever um texto contando a sua história.

6 comentários:

  1. cada imagem dessas propicia um manancial de suposições. Antes de conhecer a verdadeira estória dessas casas, nossa imaginação voa. Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Gostei do tema. Sou como vc, gosto de desvendar, tentar ao menos, enígmas. E casas, edificações antigas, carregam histórias, Bastante avaliar as velhas e fantásticas construções antigas.Minha casa de nascimento foi derrubadam junto com outras tantas. Eu passo, olho, sinto que se foi um pedaço meu. Não vendi para empreendimento, mas por insistência de minha irmã, para uma instituição que se denominava Igreja de Cristo, evangélica. Isto pacificou um pouco meu coração, mas faz tempo, uns vinte anos, agora muitos anos depois de ter sido vendida foi para o chão. Surgirá uma nova praga, apartamentos. Doze casas derrubadas. Minha cidade, quase toda foi derrubada. Minha casa sobrevive, a cas que fiz e moro datam quarenta anos, está sendo perseguida faz dez anos, mas resiste. Indevassável, quando o portão se abre para sir um carro, para e olham o jardim, minha mulher diz que ficam extasiados, olhando, e elogiam, Ninguém mais tem jardim, grama, lantas, casa enfim...Abr.Celso

    ResponderExcluir
  3. Gostei do tema. Sou como vc, gosto de desvendar, tentar ao menos, enígmas. E casas, edificações antigas, carregam histórias.

    Bastante avaliar as velhas e fantásticas construções antigas.Minha casa de nascimento foi derrubadm junto com outras tantas. Eu passo, olho, sinto que se foi um pedaço meu. Não vendi para empreendimento, mas por insistência de minha irmã, para uma instituição que se denominava Igreja de Cristo, evangélica.

    Isto pacificou um pouco meu coração, mas faz tempo, uns vinte anos, agora muitos anos depois de ter sido vendida foi para o chão. Surgirá uma nova praga, apartamentos. Doze casas derrubadas. Minha cidade, quase toda foi derrubada. Minha casa sobrevive, a casa que fiz e moro datam quarenta anos; Está sendo perseguida faz dez anos, mas resiste.

    Indevassável, quando o portão se abre para sair um carro, param e olham o jardim, minha mulher diz que ficam extasiados, olhando, e elogiam. Ninguém mais tem jardim, grama, plantas, casa enfim...Abr.Celso

    ResponderExcluir
  4. eu também gosto das casas antigas com suas estórias e acho a decoração moderna muito fria em diversos aspectos. Essas casas antigas tem um aconchego, um calor, uma beleza inenarrável! Amo suas fotos viu?

    ResponderExcluir
  5. tambem fico imaginando mil coisas atraves das janelas e portas e portoes que sao a entrada de tudo... arrasou Ana !!! boa noite !! olguinha

    ResponderExcluir
  6. A segunda foto - a do portão dando para a floresta, ao fundo - não existe. Sonho fotografado. A foto que fica. Adeus, Ana. Viajo daqui a pouco para a Baixada Fluminense. Vou arrumar as coisas, agora. Valeu te ler!!!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...