domingo, 10 de junho de 2012

Eu Queria Ser Borboleta




Muitas vezes nos perguntam
Que bicho seríamos,
Se bichos fôssemos. 

Nunca, jamais ocorreu-me um outro:
Queria ser borboleta,
Pois não conheço maior beleza
Do que a de  ter asas de seda
E cores tão harmoniosas e intensas...

Não conheço maior vantagem
Do que ter uma existência breve
Vivida de flor em flor,
A espalhar a vida e o pólen...

Manchas de cores na manhã de verão,
Fadas encantadas nas tardes de primavera,
Pontos de calor em dias de inverno,
Encanto fugaz em meses de outono...

Borboleta, é isso que eu queria ser,
Ao sabor do vento,
Inspirando versos.
E de minha vida fugaz e breve,
Ficaria quase nada,
Apenas uma lembrança leve
Da beleza mais intensa, que doou-se
Por ser bela, simplesmente.

5 comentários:

  1. Bela poesia! Ser uma borboleta já é poesia!Beijos

    ResponderExcluir
  2. Convido-te a conhecer um Homem de papel
    Convido-te a olhá-lo num espelho de água

    Bom fim de semana

    Mágico beijo

    ResponderExcluir
  3. Teu poema seria metamorfoseado
    tantas vezes
    num uni-verso sem fim
    não seria uma vida
    tão breve assim
    a vida de uma borboleta
    é quase uma eternidade
    ela vem na Gaia
    apenas para escrever
    com seus polens
    lições sobre a vida
    eterna
    sua aula é que dura
    apena um dia.

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir
  4. Lindo seu poema, Ana.
    Ser borboleta é ser livre, leve, solta, na delicada arte de viver.
    Boa semana, beijos,
    Valéria

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...