domingo, 17 de junho de 2012

A Difícil Arte de Ser



Muitas vezes, as pessoas em quem você depositou sua confiança irão decepcioná-lo. Pessoas que você se acostumou a ver como amigas poderão traí-lo e fazer coisas que você não esperava. A maneira mais rápida de decepcionar-se com alguém - e viver se decepcionando - é esperar atitudes das pessoas, porque elas estão prontas a serem apenas aquilo que é de sua essência. Se você esperou mais, é porque não soube ler nas entrelinhas.
Viver é difícil, quando se perde os detalhes...

Exatamente por isso, há muito tempo não espero nada de ninguém, e jamais me precipito a chamar alguém de 'amigo.' Meus amigos são escolhidos com muito cuidado. Talvez por causa disso, há muito tempo não me decepciono!
E, se por um acaso, alguém tenta me ferir, eu sempre penso no porquê de eu ter atraído aquela situação para minha vida, pois sei que somos todos responsáveis pelo que entra e sai de nossas vidas. Responsabilizar outras pessoas pelo mal ou pelo bem que nos acontece é irresponsabilidade. E, assim como eu atraio certas situações, posso também repelí-las, caso sinta-me infeliz com elas. Abrir e fechar portas são atividades corriqueiras da vida. Não sou de reclamar. Não cultivo autopiedade. Não acho que eu seja uma pobre vítima a quem alguém possa estar ferindo sem nenhuma razão, e nem me vejo como estando indefesa diante das situações que a vida apresenta.

Se alguém me desagrada, tenho algumas alternativas:
-Responder à altura. O que faço, quando acho que vale à pena. Principalmente se eu estiver indo em defesa de alguém que amo, e que foi, inadivertidamente, atingido pela sujeira que me jogaram.
-Ignorar. Isso eu faço quando nem vale a pena o aborrecimento. Ou então, dependerá de meu senso de humor no momento...
-Conversar e tentar resolver a situação - quando a pessoa em questão for muito importante para mim.

Viver é estar exposto. É ser alvo. Viver não é para os frágeis. Todos nós, um belo dia, teremos que cruzar pântanos. É quase impossível passar por um sem ser respingado pela lama que lá está. Mesmo assim, prefiro cruzar meus pântanos a estagnar à beira da floresta, lamentando-me pela lama do caminho. Deixo esta tarefa para os fracos e os covardes.

5 comentários:

  1. Há uma grande decepção nas atitudes. Amigos?! Realmente precisam ser posta em quarentena e termos o cuidado de tratá-los entre linhas até que então possamos ter certeza de trazê-los para a feraz poesia do dia a dia.

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana

    Belo texto; Cheio de verdades.
    Como você já não espero nada de ninguém. Essa é a melhor forma de lhe dar com elas. Também é uma forma de sermos quem realmente somos, sem a obrigação de agradar.

    ResponderExcluir
  3. Ana muito boa sua reflexão da arte de viver e suas tres opções é a essencia mesmo da vida.É preciso sempre ter o espirito aberto para uma solução/resolução. Viver é meio parecido com maquinas é preciso entender e azeita-las para funcionar bem.Se lhes falta este azeite, há um emperramento natural.Bom mesmo é viver na paz e harmonia com alegria.
    Gostei amiga.
    Um abração.
    Beijo e belo domingo.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo texto. Certamente, ler nas entrelinhas 9como dizes) é essencial, até mesmo por ser uma atividade que exercita a mente. E tem muita gente com a mente anêmica por falta de exercícios. Bom Dia!!!

    ResponderExcluir
  5. Ana,sempre msgs muito lindas em seu blog!Firmeza,carater e coragem é o que vi e gostei por aqui!Bjs e bom domingo!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...