terça-feira, 12 de junho de 2012

Existência




Confabulamos, falamos...

Supomos e até dizemos que adivinhamos
Mas não sabemos, ao certo,
O que significa existir.



Pensamos conhecer
E até nos atrevemos
A descrever a vida
E a clamar verdades
Desconhecidas!



Alguns acham-se médiuns,
Tentando adivinhar 
O caráter alheio,
Mas não possuem olhos
Para o que há em si de feio.



Deus, dá-me, todos os dias,
A minha parcela
( a que é minha)
De dores e de alegrias!



Ajuda-me a suportar
O que eu não posso mudar,
E a tolerar aqueles
Que acham-se poderosos
E pensam adivinhar-me...



Que a minha soberba
Jamais seja disfarçada
Sob a alcunha de humildade!
Que a minha inveja
Jamais seja chamada 
De altruísmo e de verdade,
E que o que há de pior em mim
Possa sempre ser tratado
Ou ao menos, melhorado,
Mas jamais disfarçado!



Que eu não crie mentiras
Sobre as verdades alheias,
E nem me ache melhor 
Que as outras criaturas,
Pois deste modo,para mim,
As minhas estruturas
Serão suficientemente fortes
Para sustentar a mim mesma
Seja na vida
Ou na morte.

Um comentário:

  1. Seu pedido é sublime. Nem sempre conseguimos nos calar e nos abstermos de julgar. Mas podemos, em constante exercício, buscar a verdade, mantendo o equilíbrio e o respeito. Bjs.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...