segunda-feira, 8 de abril de 2013

O Tom





Às vezes não é fácil
Achar o tom 
Entre tantos tons
E tantos matizes.

Não é tão simples,
Achar o que nos descreve,
O que nos define,
E algumas pessoas
Passam a  vida toda procurando
Sem encontrar.

As cores são tão lindas,
Mas nem todas elas
Conseguem me pintar.
Misturas, loucuras,
Aquarelas e querelas
Gotas de tinta
Tons pastéis e tons cruéis.

E eu sigo assim,
fazendo artes 
Com os meus pincéis.



8 comentários:

  1. Se há algo sublime, nobre e elevado que todo ser altamente consciente de si mesmo devia e deve procurar, é a sua verdadeira essência, sua verdadeira identidade. Algo ainda indefinível que a busca deve tornar inteligível para que deixe a sua marca profunda na eternidade.

    ResponderExcluir
  2. Pode-se procurar, mas não precisamos achar nada, a vida acha para a gente. "EU NÃO TENHO MENSAGEM, MINHA MENSAGEM É MINHA VIDA". Gandhi.
    Abraço. Celso Felício Panza

    ResponderExcluir
  3. MUITAS VEZE O TOM PERFEITO ESTÁ AO NOSSO LADO A VIDA TODA E NEM REPARAMOS, E QUANDO ACHAMOS QUE O ENCONTRAMOS JÁ ESTÁ DESBOTADO.

    BJS E BOA SEMANA.

    PATTY.

    ResponderExcluir
  4. aprender colorir a estrada , o caminho , a trilha , o sonho ....belissima imagem . tudo muito lindo ! abraços querida Ana. olguinha

    ResponderExcluir
  5. Perfeito Ana ! só a mente sensível de uma poetisa para em algumas quadras demonstrar o nosso esforço nesta busca.

    ResponderExcluir
  6. Ha cores que o pincel desconhece. São cores singelas que só o coração reconhece e com o dom da poesia se esclarece...

    ResponderExcluir
  7. Mais que lindo...SUBLIME....por tudo que nos leva a refletir...achar o tom!!! Acho que ele terá que nos achar.....bjks com carinho da M.Thereza/Thê

    ResponderExcluir
  8. Ana, nossa identificação com determinado tom depende do momento que vivemos. Creio que nunca abraçamos um só durante toda a caminhada. Toda mudança inverte a posição de nosso arco-íris. Bjs.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Contas

Eram contas de um colar pesado, Sem brilho, um tanto funesto Que alguém usava em volta do pescoço Como uma forma de p...