quinta-feira, 11 de abril de 2013

A Ilha









Um barco ao mar, longínqua ilha 


Sob ondas calmas,maremotos... 


No horizonte, a densa bruma 


Leme quebrado, remos tortos... 



Nalgum lugar descansa a ilha 


Aonde dormem sonhos mortos... 


De tempestade em calmaria, 


Vão branqueando-se meus ossos. 



Lá longe, olhos no horizonte 


Pelos que estão a navegar 


Até que cheguem ao porto branco 


Olhos fechados...descansar... 








7 comentários:

  1. Todos os elementos que encantam, numa bela poesia:
    ilha, mar, barco, horizonte...Lindo!

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana! Linda poesia, parecia que estava na areia da praia, sentindo aquela brisa , olhando os barcos desaparecendo no horisonte. Quando me depara com esta paisagem me pergunto: O que será que eles estão vendo de lá? Amo o mar, mas é muito misterioso.
    Obrigada pela visita, fiquei feliz que gostou do convite, fique a vontade.
    Bjuss uma linda noite.

    ResponderExcluir
  3. Ao longe... viaja a utopia, vai em busca dos sonhos que dormem semi-mortos até cheguem ao porto branco...

    beijos

    ResponderExcluir

  4. Olá Ana,

    Passei para apreciar sua poesia e desejar-lhe uma ótima noite.
    Bela imagem.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Ana, quase saí velejando, tanto me atraiu sua Ilha. Bjs

    ResponderExcluir
  6. barco, mar, ilha

    gostei!

    a foto também é bonita embora tenha muita luz.

    um bom fim de semana.

    um beijinho

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...