quinta-feira, 11 de abril de 2013

A Ilha









Um barco ao mar, longínqua ilha 


Sob ondas calmas,maremotos... 


No horizonte, a densa bruma 


Leme quebrado, remos tortos... 



Nalgum lugar descansa a ilha 


Aonde dormem sonhos mortos... 


De tempestade em calmaria, 


Vão branqueando-se meus ossos. 



Lá longe, olhos no horizonte 


Pelos que estão a navegar 


Até que cheguem ao porto branco 


Olhos fechados...descansar... 








7 comentários:

  1. Todos os elementos que encantam, numa bela poesia:
    ilha, mar, barco, horizonte...Lindo!

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana! Linda poesia, parecia que estava na areia da praia, sentindo aquela brisa , olhando os barcos desaparecendo no horisonte. Quando me depara com esta paisagem me pergunto: O que será que eles estão vendo de lá? Amo o mar, mas é muito misterioso.
    Obrigada pela visita, fiquei feliz que gostou do convite, fique a vontade.
    Bjuss uma linda noite.

    ResponderExcluir
  3. Ao longe... viaja a utopia, vai em busca dos sonhos que dormem semi-mortos até cheguem ao porto branco...

    beijos

    ResponderExcluir

  4. Olá Ana,

    Passei para apreciar sua poesia e desejar-lhe uma ótima noite.
    Bela imagem.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Ana, quase saí velejando, tanto me atraiu sua Ilha. Bjs

    ResponderExcluir
  6. barco, mar, ilha

    gostei!

    a foto também é bonita embora tenha muita luz.

    um bom fim de semana.

    um beijinho

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...