segunda-feira, 6 de maio de 2013

Eta Gente Chata!




Há um exagero hoje em dia com essa coisa de direitos. Autorais e também de outros tipos. A criatura coloca uma imagem na internet, ou seja, solta-a no mundo, e se alguém a usa em alguma postagem de blog - nem que a imagem se trate de uma simples barrinha - já vem um 'aviso' no lugar da imagem, falando sobre direitos autorais. 

Se alguém , sem querer, coloca um nome que já existe em outro blog, alguém vem dizer que é plágio; tudo é plágio hoje em dia! Eta gente chata. Se um poema tem o mesmo título que outro, é plágio. Como se alguém fosse proprietário das palavras. Nem sabem o que significa plágio, e querem cantar de galo!

Me digam: quem é que tem aí uma ideia totalmente inédita para uma crônica, conto ou poema? Será que é preciso pesquisar arduamente antes de colocar um título em alguma coisa, para ver se já tem outro com título parecido ou igual? Mas que chatice sem medida! Tem gente que nasceu para ser chata e desagradável!

Uma amiga blogueira deseja criar um livro de contos com as histórias de vários autores - sem cobrar nada por isso - mas não consegue contos suficientes, porque as pessoas estão preocupadas com seus 'direitos autorais.' Não querem saber se através de tal publicação poderão ter seus trabalhos mais divulgados. Ela mesma, que está se empenhando tanto para conseguir a publicação, não ganhará nenhum centavo através dela; faz apenas por prazer.

Acho a maior gentileza quando alguém aprecia tanto alguma coisa que eu fiz a ponto de perguntar se poderia publicá-la em outro espaço. Se meu nome estará lá, por que não? 

Algumas vezes, vejo mensagens após algumas publicações: "Este texto está protegido pela Lei de Direitos autorais número tal tal, e blá, blá, blá..." Não sou a favor da violação de direitos autorais, pois acho feio pegar alguma coisa que alguém escreveu e assinar o nome embaixo; mas também acho que existe um pouco de exagero de alguns autores nesse sentido. Para mim, quando eu crio, é para as pessoas lerem, apreciarem, e se quiserem, podem divulgar. Para mim é uma grande recompensa.

Coisa feia é pegar o que o outro criou e assinar o nome como se fosse criação sua; não é só violação de direitos autorais, é cara de pau mesmo. falta de educação e civismo. Mas por que não deixar que outras pessoas apreciem o que fizemos? 

Escrevo pelo prazer de escrever, faço porque eu gosto. Sei muito bem que nunca vou ficar famosa ou rica por causa disso. É divertido, é bom, é gratificante. Já basta.

4 comentários:

  1. Ana,tocou o dedo numa ferida para muita gente.Eu procuro sempre colocar de onde tal imagem,se o texto é de alguem,e graças a Deus nunca tive problemas com isso. Chato é quando copiam seu texto,postam e não colocam seu nome na autoria,tem razão!Mas muita gente exagera,com certeza!bjs e boa semana pra vc!

    ResponderExcluir
  2. Uma vez recebi uma notificação do blogger, ameaçando excluir o meu, porque alguém, que nem se identificou e reclamou como anônimo, diz que a imagem usada lhe pertencia. Fiquei traumatizada com isso. Sempre dou os créditos quando são mencionados e se o artista é brasileiro, até peço autorização. Copiar um texto ou poema e se dizer autor, aí, sim, está presente a falta de caráter. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, Marilene. Quem garante que esse anônimo que disse ser o proprietário da imagem é mesmo quem diz ser? Que prova temos que tal pessoa não passa de alguém que simplesmente deseja perturbar a nossa paz? Em um outro site onde escrevo, uma vez recebi uma advertência por causa de um texto que já estava lá há três anos! Ou seja, uma pessoa que vasculha a minha escrivaninha para achar alguma coisa - qualquer coisa - que possa usar contra mim (e naquela época eu tinha mais de dois mil textos publicados naquele local) deseja apenas perturbar, e dispõe de tempo livre demais para fazer isso. Enfim, tem de tudo nessa vida...

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Bom dia
    Ana
    Concordo plenamente... nós somos apenas a transição, a geração que se deslumbra com a tecnologia, mas esbarra em regras e leis de um sistema que ainda não se adaptou. É tudo parte da mesma realidade, em que todo o conteúdo do mundo está acessível o tempo todo.Mas, é aquilo que vc colocou,quando é genuíno o direito,já que por vezes fazemos uso na maior das intenções, é só acatar e fim!Desde que não confundam direito de ideias registradas, com direito á propriedades das palavras, afinal, impossível inventar palavras inéditas. Vira uma chatice mesmo de quem não tem nada que fazer, se nem sabem o q estão falando. Se usam os meus, é só me avisar que está tudo certo.
    Não vem ao caso de seu post, mas, o que poucos sabem é que na Legislação Brasileira, após 70 anos da morte do autor, toda obra literária, musical e fílmica é de Domínio Público.Ou direitos autorais renovados (Que pode ser feito por herdeiros legais e editoras/produtoras que detém os direitos da obra.
    Nem esquento mais com isso, faz parte!
    Obrigado!Boa terça feira
    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...