segunda-feira, 20 de maio de 2013

Orgulho, Cobiça, Competição - Desabafo






Tenho visto o orgulho , a cobiça e a competição deixarem seus rastros pelo mundo, separando amigos, destruindo lares, causando verdadeiros tsunamis na vida das pessoas. Tenho visto pessoas que pensam que ter a última palavra é mais importante do que manter um relacionamento saudável com as pessoas que as cercam. Vejo e lamento. 

Existe nas pessoas um desejo de vingança que extrapola a convivência. Aquele ressentimento que ficou lá no passado é cuidadosamente cultivado por anos e anos, até que haja uma oportunidade de vingança; e mesmo que as coisas tenham mudado, que a vida tenha dado mil voltas e que as pessoas tenham crescido, a vingança é alimentada todos os dias, à sangue e lágrimas.

Existem algumas pessoas que só ficam felizes e só se sentem seguras quando acham que tem 'o controle da situação,' ou seja, o domínio sobre as demais. Usam como lema, o conceito 'Dividir para dominar,' e só ficam felizes quando conseguem seu intento.

Existem pessoas que não tem dentro de si um pingo, uma única gota de gratidão por quem as ajudou em algum momento na vida, e nem sequer conhecem o significado da palavra gratidão.

E o mundo fica mais cinzento, e as relações, cada vez mais corroídas, até que se chega a um ponto em que não há mais volta. O importante, para estas pessoas nocivas, não é ver o bem do outro, não é cooperar para que todos possam ser felizes e darem-se bem uns com os outros, e sim ver a desordem, o desentendimento, a desconfiança espalhados por todos os lugares!

E quem ganha com isso?  Elas pensam que ganham, mas todos perdem. 

A fofoca, a inveja, a competição, as mentiras, o orgulho e a cobiça são as bases morais destas pessoas. É com imensa tristeza que eu vejo coisas ruins, coisas péssimas acontecendo no mundo, e eu penso, "Meu Deus, será que eles não enxergam o que estão fazendo? Como podem se colocar como ícones de moral e exigir perfeição dos outros, se eles mesmos agem como agem?"

O que importa, é colocar uma fotografia sorridente nas redes sociais, a fim de demonstrarem que suas vidas são perfeitas e felizes, quando na verdade, está tudo uma merda. O que importa, é 'ir pra balada,' o que importa, é curtir e ser curtido, compartilhar e ser compartilhado, enquanto espalham o preconceito, a má vontade e a falácia!

Lembro-me que, ao final do ano de 2011, vi um desses astrólogos/tarólogos/adivinhos/e sei-lé-mais-o-que em um programa de TV que dizia que 2012 seria o ano em que as máscaras cairiam; fiquei com aquela frase na cabeça, nem sei porque, mas hoje, eu entendi. Assim como também entendi toda aquela parafernália de fim de mundo que encheu a mídia; é que o mundo acabou mesmo, e nós nem percebemos!

E essas pessoas sentam-se nas poltronas, em suas casas, na hora do jantar, e ficam apontando para a TV, para os políticos desonestos, e falando em qual seria a melhor punição para eles, quando na verdade, elas ficariam muito felizes se pudessem estar lá aonde eles estão, fazendo as mesmas coisas ou até pior!

Me desculpem se eu hoje estou pessimista, mas é assim que eu estou enxergando as coisas neste momento. E a pior coisa (ou talvez seja até bom), é a gente sentir na pele, literalmente, as coisas que estão acontecendo em volta da gente, e não poder fazer nada para mudá-las, pois as pessoas são idiotas e não enxergam, e nem aprendem através das lições que a vida aplica. As coisas estão desmoronando, literalmente, e ninguém nem percebe quando foi que tudo começou, e o que seria preciso para fazer isso parar!

Sinceramente, não vejo saída. É cada um pensando em si, em como lucrar mais, em como enganar o outro, em como dominar, dar ordens, colocar pessoas contra pessoas, fofocar, inventar mentiras para manipular vidas, e depois... bem, depois, elas vão lá para a sua igreja, centro, sinagoga, mesquita e sei-lá-mais-o-que, e de olhares compungidos, pregam o perdão, a bondade e a caridade.


6 comentários:

  1. Ei,Ana..
    Entrei aqui pela janela e é curioso como são as coisas.
    Há poucos dias eu estava triste com os caminhos do mundo.
    Conheci o pior do pior do mundo e pensei em deixar o pior do pior para que os piores se devorassem.
    Mas acabei descobrindo que se eu fuxicar, consigo achar flor no lixo, como aquela música Ritaul do Cazuza.
    E aí acho outra e outra. E depois eu rego, espero a semente, planto...
    Deus ensina a prazo aos mais espertos e aos otários.
    Acontece que um dia todo mundo aprende e se não aprender, arca com as consequências da própria inapetência. Isso não nos isenta de continuar procurando os jardins, porque se a gente parar... Aí sim, o mundo acaba e as flores morrem.
    Não é um discurso simplório, mas é simples.
    Importa quem somos, quem podemos ser.
    O resto do mundo é por conta do resto do mundo.
    Tenho visto.

    Um abraço!!

    ResponderExcluir
  2. Teu desabafo e indignação tem razão de ser. Vemos realemte coisas que nunca havíamos imaginado em ver ou sentir. E É DOSE!!! Quando nos querem atingir, então!!! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. Ana, tudo precisa revolucionar para depois se assentar, o mundo está em marcha, as almas estão aqui para isso, ver, sentir, perceber e tirar as próprias conclusões do que é bom ou ruim, eu por mim digo a mim mesma, "se você está bem é por estar no bem e se está mal é bom olhar e ver o que está indo errado", pois é, a mídia está aí pra nos jogar o tempo todo tudo o que há de mal no mundo, mas há o bem e muito mais do que o mal!
    Tudo é reflexo, não sou religiosa, mas sempre me sinto bem acreditando no bem que há em mim!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Sempre gosto muito dos seus textos, pela coerência neles contida e pelas verdades incontestáveis. Gostei de vir aqui!

    ResponderExcluir
  5. Verdade. Anna, você tem toda razão, assino embaixo! O que disse não é ser pessimista, é ser realista; também sou bastante realista em relação ao que acontece no mundo atualmente! Infelizmente, vamos de mal a pior! Parabéns pelo excelente texto! Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Por piores que sejam as coisas, ter lucidez para percebê-las, como são, é um privilégio. Isso não impede que nos magoemos, mas nos ensina a buscar a paz, isolando-nos dessa desmedida competição. Bjs.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...