domingo, 24 de fevereiro de 2013

Olhar o Mar







Ondas salgadas
Sem piedade
Quebram-se em mim...

Olhar o mar, e não pensar,
Apenas
Olhar o mar!...

Perco as pupilas
Por entre as vagas
Cheias de mim...

Olhar o mar, e não pensar,
Apenas
Olhar o mar!...

As horas passam,
O sol escalda
Os pensamentos...

Olhar o mar e não pensar,
Apenas
Olhar o mar!...

Vou pelas águas
Verdes do mar,
Só me perdendo...

Olhar o mar e não pensar,
Apenas
Olhar o mar!...


Uma gaivota
Pousam na praia,
Tuas lembranças...

Olhar o mar e não pensar,
Apenas
Olhar o mar!...

Como é difícil
Olhar as ondas
E não pensar!...

*

3 comentários:

  1. Seus últimos poemas tem muita saudade e melancolia, que nos levam de volta pra esse lugar límbico, do qual tentamos fugir a todo custo; mas você, poeta que é, tem coragem de retomar contato com o que se deseja, com a insatisfação, com a indignação... se purgando, e lembrando que também podemos nos purgar.

    Um Grande Abraço, Ana!

    Felicidades!

    ResponderExcluir
  2. Melancolia
    aliada ao mar
    só pode
    dar poesia
    linda poesia

    ResponderExcluir
  3. O mar inspira mas traz inúmeros pensamentos. A bela natureza nos volta para o interior e provoca reflexões. Mas vale a pena. Bjs.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...