sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Camadas






Camadas


Camadas
Mal-amadas
Acamadas
Nadas...

Afoga-se
Em rios
De lavas
Em brasas.

Camadas
Sobre camadas
De nadas.

Unhadas
Com unhas
Encravadas.

Faces
Sangradas,
Desespero
Em camadas.

Sob?
O nada.
Sobre?
Mais nada.




2 comentários:

  1. Olá!Boa tarde!
    Ana
    Parabéns pelo estilo do escrito( não sei o nome correto). Parece fácil... mas sei como é difícil.
    creio que chegamos na camada do impasse, onde experienciamos o vazio, o nada, é o ponto em que, geralmente, temos que ser capazes de manter nossa autoconsciência neste vazio, senão seremos paralisados pelas forças opostas.
    Meu carinho
    Bom final de semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Faço o mesmo comentário de cima. Gosto muito deste estilo. Poucas vezes consegui, e não creio que o meu tenha tido esta beleza sutil e gostosa de ler...

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Contas

Eram contas de um colar pesado, Sem brilho, um tanto funesto Que alguém usava em volta do pescoço Como uma forma de p...