terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Nem Tanto...





Tudo não é tanto assim:
As alegrias, as tristezas,
Incertezas, desencantos,
Se soubermos, desde o início
Que a vida escreve, sempre,
Sobre cada acontecimento:
"Nem tanto!"

Partículas de momentos
Numa dança intransigente
Sob a batuta de um vento
Que rege a vida da gente,
Mas até mesmo esse vento
Tem escrito, nalgum canto:
"Nem tanto!"

Caminhamos sobre a prancha
De um navio de incertezas
Com a ponta de uma espada
Espetando as nossas costas...
Mas até a boca aberta
Do faminto celacanto
Tem escrito em sua goela:
"Nem  tanto!"

Finalmente, nos veremos
Em um barco, soçobrando, 
Transidos de dor e de medo,
E a vida, nos matando...
Mas ao chegarmos ao fundo
Na lama de um mar imundo,
Haverá alguém escrito:
"Nem tanto!"

*

6 comentários:

  1. Que maravilha de poesia e sentimentos! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Trata-se, acho eu, de nao nos levarmos demasiado a serio. Tudo passa ... Nada é tão importante assim.
    Belo texto!

    ResponderExcluir
  3. Amo poemas que são hemorragias
    escritos com leveza
    mas são versos pesados
    as estrofes as letras
    estão tanto
    sem o nem
    no entanto
    mui belos

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir
  4. BOM DIA MINHA QUERIDA !
    LINDAS E SENTIDAS AS PALAVRAS NESTE BELO POEMA...
    BJSSSSSSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  5. Ana,mais que maravilhosa essa poesia!Muitas vezes o que parece ser um problemão não é tanto assim!...rss...bjs,

    ResponderExcluir
  6. quando a gente vai muito acaba afundando o nem tanto é o que nos regra. perfeito seu poema! beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Exageros

    Assisti a um vídeo na internet no qual uma drag queen montada dava palestras em uma escola para crianças que, aparentemente, t...