quarta-feira, 2 de maio de 2012

CANTO






Canto,
Enquanto cai o pranto,
Escorre entre meus dentes
Lavando meu sorriso
Enquanto desce...

Olhos fechados,
A alma aberta,
Escancarada
Como as janelas
Da minha casa...

Canto no escuro,
No sol, na chuva,
Porque não existo
Quando não canto!

E do meu canto,
Enquadro o mundo...
Ângulos vários,
Sono profundo...

2 comentários:

  1. Me lembrei de uma letra escrita por Adriana Calcanhoto, se não me engano o nome é Esquadros. Cantemos Ana, a música é parte da minha vida, não abro mão.

    ResponderExcluir
  2. Também canto, acho que para enganar a mim mesma por tudo que não é mais. Tempo malvado que leva e não traz. Abrçs. Helena

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Contas

Eram contas de um colar pesado, Sem brilho, um tanto funesto Que alguém usava em volta do pescoço Como uma forma de p...