terça-feira, 22 de maio de 2012

Te Amo


Te amo tanto, e sei o quanto és breve,
Por isso, não te peço que fiques,
Nem que me leves,
Pois tua essência é volátil, leve,
Tua presença, um privilégio
Que eu não posso reter.

Te amo tanto, e a minha dor é fina,
Transparente, ferina,
Pois perder-te é meu destino
Que eu não desafio,
E nem tento retirar
A ponta do punhal que testa
Meu coração infeliz.

Te amo tanto, e assim, deixo-te livre,
Pois se te prendo, a tua essência foge
Para todo sempre, de mim...
Sei que a saudade senta-se comigo
Silenciosa , a observar-me,
A esperar a hora derradeira
Em que serei, para sempre e mais um dia,
A sua fiel hospedeira.




3 comentários:

  1. Saudade sempre uma companheira,que nos abraça e nos leva pelos caminhos das lembranças,que tambem nos dão um gostinho bom.
    Bela criação Ana.
    Meu abraço.

    ResponderExcluir
  2. Um amor incondicional é confessado!
    Poetas são assim mesmo, Ana.

    Beijos,
    Jorge

    ResponderExcluir
  3. Sempre vive e nós quem nos deixou saudades. Emocionante amiga.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

AMANHECEU

Amanheceu novamente Sobre as igrejas e telhados dos que ainda dormem E dos que jamais despertarão. Amanheceu sobre as p...