terça-feira, 22 de maio de 2012

Te Amo


Te amo tanto, e sei o quanto és breve,
Por isso, não te peço que fiques,
Nem que me leves,
Pois tua essência é volátil, leve,
Tua presença, um privilégio
Que eu não posso reter.

Te amo tanto, e a minha dor é fina,
Transparente, ferina,
Pois perder-te é meu destino
Que eu não desafio,
E nem tento retirar
A ponta do punhal que testa
Meu coração infeliz.

Te amo tanto, e assim, deixo-te livre,
Pois se te prendo, a tua essência foge
Para todo sempre, de mim...
Sei que a saudade senta-se comigo
Silenciosa , a observar-me,
A esperar a hora derradeira
Em que serei, para sempre e mais um dia,
A sua fiel hospedeira.




3 comentários:

  1. Saudade sempre uma companheira,que nos abraça e nos leva pelos caminhos das lembranças,que tambem nos dão um gostinho bom.
    Bela criação Ana.
    Meu abraço.

    ResponderExcluir
  2. Um amor incondicional é confessado!
    Poetas são assim mesmo, Ana.

    Beijos,
    Jorge

    ResponderExcluir
  3. Sempre vive e nós quem nos deixou saudades. Emocionante amiga.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Até um Dia!

Olá, pessoal! Por motivos pessoais, estarei fora da rede durante alguns dias. Volto em breve! Abraços! ...