sexta-feira, 11 de maio de 2012

Orquídeas



Ela não sabe o que é beleza,
Ninguém lhe disse.
Por isso, é feliz,
Não tem quaisquer
Parâmetros de comparação.

Cada uma tem sua cor,
Seu formato,
E quando a luz incide sobre elas,
Lançam diferentes cintilações,
Tons mais frios
Ou mais quentes.

Algumas são muito raras,
Híbridas e caras,
Enquanto outras, nascem felizes
Na copa de qualquer árvore,
Em qualquer madeira podre,
Mas nem por isso, tem menos beleza.

As orquídeas, assim como todas
As outras flores,
Entregam-se à vida sem medos,
Sem pudores...
Símbolos da inocência que muitos almejam
E outros, proclamam ter.




2 comentários:

  1. Uma das flores mais lindas que conheço. Antes, não sei se hoje ainda é assim, de tão raras, floriam uma vez por ano, duravam no máximo dois meses. E floriam em qualquer lugar, no meio da mata, nos troncos podres, ou em viveiros de plantas para depois
    irem enfeitar casas, lojas e afins. Sua comparação com as pessoas foi profunda demais. Dá o que pensar. Meu carinho Ana, obrigada pelos parabéns.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...