quarta-feira, 23 de maio de 2012

O Que eu Ganho?



"Poesia é 'fria!'
Não dá futuro,
Não faz dinheiro!"

E o que eu ganho?

Talvez, o direito de estar entre os anjos
Ou de andar no inferno
Sem temer os demônios,
Todos os dias!

Ou quem sabe, a poesia traga
Um pouco de sentido
A algumas vidas que doem?...

Mas o que EU ganho,
É com certeza, o direito
À liberdade de expressão
Ao que, de outro modo,
Sufocaria o coração.

A poesia
É o meu direito de ser:
Brega,
Romântica,
Sarcástica,
Quântica,
Bombástica,
Triste, alegre, viva, morta,
Louca perigosa!

6 comentários:

  1. Amei! A gente ganha é o instante do prazer de tê-la feito. Dá um conforto, uma sensação de "delícia" que ninguém mais nos toma...rs

    ResponderExcluir
  2. É isso aí, menina! Estou contigo!
    A poesia, por vezes, alivia os nossos tormentos.

    ResponderExcluir
  3. «A poesia é o inutensílio. A única razão de ser da poesia é que ela faz parte daquelas coisas inúteis da vida que não precisam de justificativa. Porque elas são a própria razão de ser da vida. Querer que a poesia tenha um porquê, querer que a poesia esteja a serviço de alguma coisa é a mesma coisa que querer que o orgasmo tenha um porquê, que a amizade e o afeto tenham um porquê.»
    (Paulo Leminski)

    Queridaq Ana, seu belíssimo poema leva a profunda reflexão, assim como esta frase de Leminski. Para muitas pessoas «inútil» é a palavra que mais define o verdadeiro sentido da poesia. Ainda bem que outras pessoas pensam de maneira deferente e que, para elas, o significado e o valor da poesia não precisa ser justificado, pois ela é a própria razão de ser da vida.
    Quem quiser conhecer o inexplicável da poesia, leia, declame ou cante um poema de Quintana, Cecília, Florbela, Pessoa, Neruda ou Shakespeare... Escreva-o depois numa folha em branco e exiba-o para o mundo. Belo, belíssimo poema, Ana! Um grande abraço. Ana Ferreira.

    ResponderExcluir
  4. é poesia.... !!!! lindo lindo. olguinha costa

    ResponderExcluir
  5. Que bom Aninha, nada ganhamos mas podemos nos rasgarmos, sermos o que quisermos e como estamos ao menos na arte da escrita. Aqui no seu espaço, ganhamos nós.

    ResponderExcluir
  6. a poesia nos alivia pela beleza! Lindo o que você escreveu! beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Contas

Eram contas de um colar pesado, Sem brilho, um tanto funesto Que alguém usava em volta do pescoço Como uma forma de p...