quarta-feira, 30 de maio de 2012

Distância em Círculo




Quando alguém se vai,
A distância entre nós e eles
Aumenta, a cada dia,
No início.

É quando brota a saudade,
É quando o lembrar-se de tudo
Torna-se um vício.

Mas o tempo passa, circular,
Levando-nos, todos os dias,
Para mais perto de quem se foi.

E quem sabe, nem mesmo haja
Assim, tanta distância
Entre o Antes e o Depois...


6 comentários:

  1. Linda geometria da saudade Ana.Neste circulo vamos ficando cada vez mais perto.
    Meu carinhoso abraço.

    ResponderExcluir
  2. Sabe poeta
    o que mais gosto nos teus
    poema
    é a sensibilidade
    e a racionalidade matemática
    neste a dialética do encontro
    está uma pétala de flor

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderExcluir
  3. Ainda bem que não tenho esse vício, um a menos pra eu trabalhar no meio de tantos que ainda quero extirpar rsss
    Beijos e lindo dia!

    ResponderExcluir
  4. Isa, lembrar as pessoas que amamos e não estão mais aqui, para mim, é um prazer. Saber que fizeram parte de nossas vidas e ter a esperança de que ainda farão é um vício que não desejo extirpar jamais, pois me faz bem recordar momentos felizes...

    ResponderExcluir
  5. a distancia , a nao presença fisica e triste sim , mas estao presetes em nosso eterno amor. bom dia Ana !! estou tendo dificuldades pra comentar aqui. abre uma pagina de google pedindo porçao de detalhes meus... agora tentei muito e abriu quando eu ja estava saindo.... bjj olguinha

    ResponderExcluir
  6. Temos sempre uma forma de trazer para perto quem vai sem nosso desejo. Lindo!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Ah, os Italianos! - Parte II

Pôr do sol em Florença... jamais esquecerei. Continuação do texto anterior LIXO – Quando fui jogar o lixo fora pela pri...