quinta-feira, 3 de maio de 2012

Abismo



Andar por anos a fio,
Cobrir diversos caminhos
Apenas para chegar
À beira de um precipício
E ver que não há saída!

Eu sei, assim é a vida,
Um olhar desesperado
Àquilo que se entrepõe
Entre nós e o desejado...

O abismo se estende
Até aonde a vista alcança,
Sopra sempre um vento frio
Que enregela a esperança...

E o desespero nos abraça,
Por tanto tempo perdido,
E a vontade que nos vem
É de voltar, mas o tempo
Torna tudo inacessível...

Não há cordas, não há nada
Que nos possa auxiliar
Na descida desse abismo...
Não há tempo pra voltar
E refazer o caminho!

É então que nos jogamos,
Ato tão desesperado!
Mas ao invés de nós cairmos,
Descobrimos que voamos...

Eu sei, assim é a vida,
Sempre mostra uma saída
Quando, à beira do abismo,
Nós nos desesperamos!

Se existe um obstáculo,
Não significa o fim:
É o momento de jogar-se,
Descobrir que tu tens asas,
E que o abismo, é tua casa!

2 comentários:

  1. E que este ''abismo'' na realidade é um canto repleto de aconchego e paz. Abraços Ana!

    ResponderExcluir
  2. Na queda livre, ganhamos força e quanto mais rápida é a queda, mais rápido faz-se necessário aprender a voar. Um arraso Ana.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Em Casa

Sinto prazer em estar em casa... gosto de cuidar de tudo, andar pelo jardim, aproveitar o sol. Gosto de ir lá para fora olhar...