domingo, 6 de maio de 2012

A REALIDADE




A REALIDADE

A realidade, sem a fantasia,
É como uma lenda sem alegoria,
É um sonho torto numa noite insone
É sangue parado nas veias de um morto.

A realidade, pura e simplesmente,
É solo arenoso, estéril semente,
Viver doloroso, aquarela sem cor
Dor intermitente, vida sem sabor.

A realidade, sem a poesia,
É comida fria, sem tempero algum.
É um barco à deriva numa tempestade,
perfume sem cheiro, adeus sem saudade.

A realidade, sem imaginação,
É um vale sem eco, amor sem paixão,
Beco escuro e triste, estrada sem destino,
Presente sem futuro, bandeira sem hino.

4 comentários:

  1. Olá!!! Ana!!! Acho que a realidade é inóspita e precisa sabermos transformar a realidade em algo como poesia, ao invés de jornais sensacionalistas (com cores e cheiro de sangue)...

    ResponderExcluir
  2. Entende agora porque a chegada da TRUPE coloriu minha realidade? Entende porque a presença da Vagalume faz toda diferença? A única coisa que até hoje me fez dar várias meias-voltas-volver foi a poesia e a música, coisas essas que estão na minha pele, no meu sangue, na minha alma. A realidade tem quase 10 anos de fichas caídas, que é crua demais. Precisei me vestir de outras cores, camaleoa de mim. Na mosca Ana. VERDADES INEGÁVEIS.

    ResponderExcluir
  3. que lindo! precisamos sempre de um pouco de sonho espalhado à vida! por mais que eu queira Ana, eu não consigo ler tudo que escreves tu és muito intensa e rápida rsrs. grande abraço

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Até um Dia!

Olá, pessoal! Por motivos pessoais, estarei fora da rede durante alguns dias. Volto em breve! Abraços! ...