quarta-feira, 30 de maio de 2012

ONTEM



Eu ontem acordei,
E olhei tudo
Com olhos de primeira vez.

O pássaro que cantava
Ficou mudo, de repente.

Ele aguçou os olhinhos
E mandou-me um outro canto;
Fiquei tesa, sem resposta,
Ao seu doce acalanto.

Eu ontem, ao adormecer
Olhei tudo
Com olhos de última vez...

E a coruja deu seu pio
No galho, junto à janela.

Um arrepio...

Um comentário:

  1. Quando a poeta conversa
    com os pássaros
    dialoga com a vida
    entende suas canções
    e presságios
    e transforma seu canto calado
    em lindos versos
    Quando a coruja
    canta ao anoitecer
    é uma poesia
    as vezes
    apenas nos assustamos
    é uma aula de filosofia
    sobre a ontologia do ser
    lindo verso poeta

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Em Casa

Sinto prazer em estar em casa... gosto de cuidar de tudo, andar pelo jardim, aproveitar o sol. Gosto de ir lá para fora olhar...