segunda-feira, 21 de maio de 2012

TEU NOME


Foto: Casa de Pedra, em Petrópolis, Av. Koeller




TEU NOME




Teu nome
É a oração pagã
Que escapa entre meus lábios
E que desconhece
A origem sagrada de sua raiz:
O meu coração.


Teu nome
É o começo de tudo
O que tem importância,
E o resumo incompleto
E ansioso
Do meu viver.


Teu nome
É a palavra perdida
Na canção da vida,
Que eu canto baixinho
De olhos fechados
Para não morrer.


Teu nome
É o destino que busco
No incerto crepúsculo
E que não sei se encontro
Não sei se existe,
Ou se é só busca.


Teu nome
É a promessa silenciosa
Que ninguém prometeu
Mas na qual eu creio,
Pois é a razão
E a esperança
De um sentido.


4 comentários:

  1. maravilhoooooso!!! bom dia Ana !! olguinha

    ResponderExcluir
  2. Olá Ana!

    Obrigado por me visitar
    e comentar em meu blog =)

    Li algumas poesias suas,
    umas delicadas e envolventes,
    outras realistas e profundas,
    passas suavidade e encanto
    com teus versos...

    E há ainda criatividade ímpar
    entrelinhas então adorei todas!

    Parabéns! Abraço.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Não Tenho Mais Nada Contigo

Estou escrevendo estas linhas  Só para deixar bem claro: Não tenho mais nada contigo. Teu rosto não faz mais figura...