quinta-feira, 24 de maio de 2012

PENSAMENTO




Eu às vezes vou longe 
No meu pensamento,
Tão longe, que não há tempo
Para patentear
As coisas que eu invento.

Meu pensamento corre livre e solto,
Além da língua,
Que não o freia
Por isso, meu pensamento
Não morre à míngua,
Nem sob as pontas agudas
De outras línguas.

3 comentários:

  1. é... aquela música: '... pensamento parece uma coisa a toa...' é mesmo algo fantástico e o melhor de tudo que acho: ninguem vê rsrs bjuuu Ana

    ResponderExcluir
  2. Teu pensamento tem asas e voa inteiramente liberto de amarras e de garras. Ele é como o vento não pede licença por onde passa. Abrçs. Helena

    ResponderExcluir
  3. \o/ Muito bom!

    Criativo, inteligente e sutilmente mordaz. rs

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Ah, os Italianos! - Parte II

Pôr do sol em Florença... jamais esquecerei. Continuação do texto anterior LIXO – Quando fui jogar o lixo fora pela pri...