quarta-feira, 2 de maio de 2012

CLARIVIDÊNCIA


Acredito que existam
Fadas, bruxas e outros seres
Na mata verde-escura.
Mas magia não se procura,
Não há de assim revelar-se,
Pois vive de ser obscura...

Uma vez, eu vi um fauno
(Mas com os olhos da alma)
Foi numa noite de lua clara,
E estrelas bem raras.

Vi, num vôo de coruja,
Uma outra criatura
Com asas de enorme
Envergadura.

N'outra vez, vi pirilampos
(ou quem sabe, uma outra coisa)
Brilhando entre os bambuzais
Em enormes luzes brancas
Bem translúcidas no centro
E brilhantes nas beiradas...

Já ouvi, apavorada,
Numa noite sem luar
O cantar de uma banshee,
Um choro de mau agouro,
prenúncio de morte e desdouro
Que de pronto, se seguiu...

Tudo isso eu vi, e juro,
Não com os olhos do corpo
(estes não enxergam tanto)
mas com os olhos da alma,
Que vê tudo de um outro canto.

3 comentários:

  1. Essas coisas nunca vi, mas vi tantas outras com os olhos da alma e outras com os olhos físicos mesmo, nunca tive medo. Os vivos visíveis ás vezes causam mais medo.

    ResponderExcluir
  2. Eu também vejo muitas coisas, com "os olhos da alma" algumas feias e outras lindíssimas, mas confesso que ultimamente tenho visto coisas deste mundo mesmo que são bem mais aterrorizantes que do outro rsss
    Beijos e boa noite amiga!

    ResponderExcluir
  3. Clima etéreo...temática misteriosa, folclórica...Amo!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

VOLTANDO...

Veneza Olá, pessoal! Estive fora por uns dias, realizando um grande e muito antigo sonho: conhecer a Itália! Foi uma experi...