segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Eu Vejo o Sol





Caminho a teu lado,
E o sol espalhado
Nas copas das árvores,
E sobre os telhados.

E tu nada vês,
Olhar embaçado,
E o azul  entristece
Teu peito rasgado...

Eu olho uma flor,
Te falo de amor,
Te mostro a beleza
Além da tristeza...

Mas tu não escutas,
Perdido em ti mesmo
Perdido de si,
Tão longe de mim...

Desisto, e enfim
Voltamos pra casa,
O dia está triste,
Tu ficas em ti

E eu fico em mim,
Querendo viver,
Estendo-te  a mão
Mas já não me enxergas...

Perdido nas trevas
Tão enregelado,
Olhar mareado,
Coração fechado.

5 comentários:

  1. Que situação mais difícil esta vivenciada nesta intensa poesia...como é difícil não conseguirmos tocar um coração quando está tão ensimesmado.
    Beijos e boa semana Ana,
    Valéria

    ResponderExcluir
  2. Nossa, poesia tão triste e tão bela! Tomara que os corações se abram, deve ser fase. Coração deve ter algo de lua. Super parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Colocou em seus versos um sentimento que muito machuca. Um apreciando a vida e o outro perdido em si mesmo. Gostei muito! bjs.

    ResponderExcluir
  4. Ver o SOL é só para quem vive Feliz,pois ele é minha Fonte de Energia.Reflexiva poesia Ana.
    Bjus\Flor*

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Até um Dia!

Olá, pessoal! Por motivos pessoais, estarei fora da rede durante alguns dias. Volto em breve! Abraços! ...